Venezuela prende homem por minerar Bitcoin e apreende equipamentos

Venezuela prende homem por minerar Bitcoin e apreende equipamentos

Uma pessoa foi detida e 37 equipamentos ASIC para mineração de Bitcoin foram apreendidos na Venezuela. A ação foi resultado de um procedimento policial realizado em 12 de janeiro no estado de Carabobo, na região central do país.

De acordo com as autoridades, a polícia local desmontou a instalação porque funcionava sem as devidas autorizações.

Embora as autoridades não tenham divulgado a identificação do detido, eles informaram que se trata de um homem de 53 anos. Agora, ele será acusado de estar envolvido em “crimes de computador”.

“Os policiais fizeram uma vistoria no pátio da propriedade, observando um contêiner de onde se ouviu um forte ruído inusitado. Eles encontraram o número de 37 máquinas de mineração de Bitcoin ligadas”, disse PoliCarabobo em sua conta no Instagram.

Após a vistoria, as máquinas de mineração de Bitcoins foram desconectadas, apreendidas e colocadas a pedido do Ministério Público.

A polícia também apreendeu um veículo e um computador. Os detalhes sobre qual tribunal de controle tem conhecimento do caso ou onde a pessoa detida se encontra são desconhecidos.

Ainda segundo as informações divulgadas, não está claro se os funcionários mostraram ordem judicial para entrar na propriedade.

No local, que também funciona como estacionamento, havia máquinas pesadas e caminhões. Mas os documentos desses veículos também não foram apresentados.

Mineração de Bitcoin na Venezuela

A mineração de Bitcoin e de outras criptomoedas não é ilegal na Venezuela. Trata-se de uma atividade regulamentada pelo governo nacional por meio da Superintendência de Ativos de Criptografia e Atividades Relacionadas (Sunacrip).

Portanto, os operadores que desejam desenvolver projetos de mineração digital devem solicitar as licenças correspondentes.

Assim, se atender a todos os requisitos, a superintendência emite uma licença para validar o funcionamento do pool ou centro de mineração.

Paralelamente, o projeto deve ter a aprovação da empresa nacional de eletricidade, que estabelece uma tarifa correspondente para o consumo de energia. Neste caso cabe a Corpoelec a função de emitir um relatório de viabilidade para cada projeto em particular.

Recentemente, mineradores venezuelanos também denunciaram casos de extorsão e como superaram as dificuldades no desenvolvimento da atividade.

Leia também: Ex-CTO da Ripple perde carteira com R$ 1,25 bilhão em Bitcoin

Leia também: Trader aponta 3 criptomoedas que são “gigantes adormecidos” para 2021

Leia também: País investe em mineração de Bitcoin com verba pública

Forex Crypto News: Cripto Facil