Startup faz primeira venda de precatórios totalmente em blockchain do Brasil

Startup faz primeira venda de precatórios totalmente em blockchain do Brasil

A startup brasileira Preks realizou a primeira cessão 100% digital de um precatório no Brasil. A notícia foi divulgada pela empresa na quinta-feira (17).

“É com muito orgulho que comunicamos o deferimento da homologação da 1ª cessão 100% digital de precatório. O contrato de cessão de crédito foi assinado digitalmente e registrado no Blockchain do Ethereum”, afirmou a empresa.

O histórico da transação no Etherscan indica que a negociação foi fechada no dia 3 de dezembro.

No entanto, a decisão judicial que autorizou a venda do precatório foi emitida apenas no dia 14. Nesta data, a juíza Andrea Maura Bertoline Rezende de Lima, do Tribunal Regional Federal de São Paulo (TRF-SP), autorizou a transferência do precatório.

Decisão que autorizou a venda de precatório.
Decisão que autorizou a venda de precatório. Fonte: Preks/TRF-SP.

No documento da decisão, há o destaque de que a assinatura foi realizada de forma digital. Isso ocorreu justamente através da tecnologia blockchain.

Precatórios e blockchain

Os precatórios são títulos de dívidas do estado com empresas ou pessoas físicas. Eles são emitidos quando as partes vencem, na Justiça, um processo contra o estado.

Atualmente, estes títulos podem ser vendidos em algumas circunstâncias. No entanto, não existe um mercado específico para que ocorra esta venda.

De acordo com o CEO da Preks, João Carlos Garcia, o objetivo da empresa é justamente criar essa ponte entre os detentores de precatórios e os investidores.

“O mercado de precatórios é gigante no Brasil, com cerca de R$ 200 bilhões em valor. Eles podem ser antecipados e vendidos, mas falta um mercado seguro e acessível para isso”, afirmou.

Fundada em 2018, a Preks surgiu com o objetivo de criar um mercado secundário para este segmento. E o uso da tecnologia blockchain veio para fornecer mais segurança.

“Queremos pegar essa massa do mercado (investidores e detentores de precatórios) e dar a eles acesso a um mercado com liquidez, transparência e segurança”, explicou Garcia.

Garantia jurídica e financeira

A Preks atua unindo detentores de precatórios interessados em vendê-los e investidores que desejam comprá-los.

Feito isso, o investidor deposita o valor do precatório em uma conta escrow, uma espécie de conta de garantia. O dinheiro permanece na conta enquanto a transação é realizada na blockchain.

Em seguida, a operação passa pelo aval de um juiz, que autoriza a transferência do precatório para o comprador. Em seguida, o dinheiro é liberado da conta escrow para o vendedor do título.

Apesar de ainda precisar de autorização judicial, a Preks já elimina alguns intermediários na negociação. Por exemplo, a assinatura via blockchain dispensa a necessidade de recorrer ao cartório.

“O nosso serviço já possui validade jurídica. E o nosso contrato inteligente, por ser registrado em blockchain, elimina a necessidade de validação via cartório”, disse Garcia.

Por conta de sua inovação, a startup chamou a atenção do Banco Central. Ela foi uma das 20 finalistas do Laboratório de Inovações Financeiras e Tecnológicas (LIFT Lab), programa que busca identificar e apoiar as empresas mais inovadoras do segmento.

Com a validade jurídica da operação e sendo destaque pelo Banco Central, o CEO da Preks falou sobre os próximos passos da empresa. A consolidação no mercado brasileiro é um deles.

“A nossa prioridade é o Brasil. Embora a Preks possa dar a qualquer investidor do mundo acesso aos nossos precatórios, queremos consolidar as nossas operações a nível local. Nosso objetivo é continuar desenvolvendo a tecnologia e divulgar mais o projeto. Queremos atrair os grandes e pequenos investidores e mostrar que o mercado de precatórios pode ganhar escala e ter mais liquidez e acesso da população.”

Leia também: Coleção de tokens é vendida por quase R$ 4 milhões

Leia também: Dono da Silk Road pode receber perdão de Donald Trump

Leia também: Contratos futuros de Ethereum são extremamente positivos, afirma economista

Forex Crypto News: Cripto Facil