Relembre críticos do Bitcoin que mudaram de ideia em 2020

Relembre críticos do Bitcoin que mudaram de ideia em 2020

Os recordes atingidos pelo Bitcoin em 2020 e o forte apoio institucional que a criptomoeda recebeu fizeram muitos críticos e céticos do BTC mudarem de ideia a respeito do principal criptoativo do mercado.

Alguns destes são investidores famosos no mercado que repensaram seu posicionamento à medida que este mercado cresceu consideravelmente em 2020.

Confira abaixo alguns destes nomes:

Stanley Druckenmiller

Um dos principais investidores que mudaram de ideia com relação ao BTC foi o gestor de fundos bilionários de hedge, Stanley Druckenmiller.

Segundo uma matéria da Revista EXAME, em 2019, ele dizia que não precisava “brincar” com o Bitcoin. Mas em novembro deste ano ele mudou de opinião e revelou que alocou parte de seu capital na criptomoeda.

Segundo Druckenmiller, a crescente estabilização do criptoativo foi o que motivou sua iniciativa.

“O Bitcoin é uma aposta mais fina e sem liquidez e tem muito mais beta”, disse ele comparando o BTC ao ouro.

Ray Dalio

Em 2017, o bilionário Ray Dalio, criador do fundo de hedge Bridgewater Associates, chamou o Bitcoin de bolha. Da mesma forma, em janeiro deste ano, ele disse que a criptomoeda falha como dinheiro:

“Existem dois propósitos de dinheiro: um meio de troca e uma reserva de riqueza. E o Bitcoin não é eficaz em nenhum desses casos agora. […] é muito volátil. Por causa da volatilidade, você não pode ir além.”

Entretanto, no final de 2020, o bilionário começou a rever seus conceitos sobre o Bitcoin.

Nesse sentido, no início deste mês, ele disse que o BTC tem espaço para ocupar no portfólio dos investidores:

“Portanto, [o Bitcoin] poderia servir como uma diversificação de ouro e outros depósitos de ativos de riqueza. O principal é ter alguns desses tipos de ativos, inclusive, no portfólio e diversificar entre eles”, disse.

Fraser-Jenkins

Quem também mudou de ideia sobre o Bitcoin foi Fraser-Jenkins, estrategista da gestora AllianceBernstein.

Também no começo de dezembro ele reconheceu que “mudou de opinião” após ter desdenhado do Bitcoin. 

Além disso, em carta aos clientes da companhia, ele passou a recomendar uma pequena alocação de portfólio em BTC.

Adam Curry

Outro crítico do Bitcoin que repensou sua posição sobre o BTC foi o empresário estadunidense Adam Curry.

Conforme noticiou o CriptoFácil em setembro, Curry — que era um difamador do BTC — disse que o BTC será necessário para o “apocalipse” que se aproxima.

“Deixe-me dizer que o apocalipse está chegando e você vai precisar de Bitcoin. Pelo menos um.”

Durante o programa “The Joe Rogan Experience”, ele confessou que era crítico à criptomoeda:

“Eu era muito anti Bitcoin (…) até vendi um grande número deles por cerca de US$ 900. Eu os ganhei de graça. As pessoas me deram no começo e eu neguei”, disse Curry, que agora considera o BTC uma reserva de valor.

Marcelo Lopez

Por fim, também há um brasileiro na lista dos arrependidos. Trata-se do gerente de fundos de hedge Marcelo Lopez.

Em 2017, ele comparou o Bitcoin à bolha das Tulipas. Mas em novembro, ele se retratou sobre a análise precipitada e disse que sua percepção sobre a criptomoeda mudou.

“Pois bem, o Bitcoin chegou com uma ideia revolucionária e maravilhosa. Ele acabou com a necessidade do lastro e eliminou a terceira parte (bancos), cortando custos e acelerando o processo de transferência de recursos”, disse.

Leia também: Bitcoin dispara e analistas acreditam nos US$ 30.000

Leia também: Entenda a recente valorização do Bitcoin e outras criptomoedas

Leia também: Mais de 5%: instituições superam mais de 1 milhão de Bitcoins adquiridos

Forex Crypto News: Cripto Facil