Mercado Bitcoin e Vasco vão tokenizar direitos de jogadores

Mercado Bitcoin e Vasco vão tokenizar direitos de jogadores

A exchange Mercado Bitcoin (MB) fechou uma parceria com o Vasco da Gama, um dos maiores clubes do Brasil, para lançar tokens de direitos do mecanismo de solidariedade da FIFA.

Esse mecanismo garante um percentual do valor da venda de um jogador para seu clube de formação.

Assim, a ação inédita no futebol vai permitir que pessoas físicas invistam em ativos digitais equivalentes a frações desses direitos.

Em outras palavras, os investidores poderão comprar um percentual do que o Vasco vai receber com a venda de 12 jogadores formados pelo clube.

Entre os atletas da base estão Philippe Coutinho, Douglas Luiz, Alex Teixeira e Allan.

Tokenização de R$ 50 milhões

De acordo com o anúncio da parceria, serão 500 mil tokens que poderão alcançar um valor superior a R$ 50 milhões. Ou seja, cada token — padrão ERC-20, baseado na blockchain Ethereum — vai custar R$ 100.

O MB vai disponibilizar o token em sua plataforma e já adquiriu antecipadamente 20% deles. Assim, os R$ 10 milhões correspondentes à compra serão creditados ao Vasco antes mesmo da abertura das vendas.

Em contrapartida, o MB estampará a camisa do Vasco em até oito jogos do Campeonato Brasileiro 2020. 

O presidente do Vasco, Alexandre Campello, destacou que o clube é tradicionalmente um formador de atletas.  Além disso, segundo ele, desde 2018 o Vasco busca possibilidade de usar criptomoedas para gerar receita:

“Esse movimento faz parte das ações do Planejamento Estratégico implementado pela atual gestão, com um forte empenho das diretorias financeiras, jurídicas e de futebol, e com a assessoria financeira da KPMG”. 

Vasco é o primeiro do mundo a contar com o token

Para viabilizar o projeto, as partes contaram com a experiência da empresa do ecossistema MB que tokeniza ativos alternativos, a MBDA.

Ao mesmo tempo, foram obtidos pareceres jurídicos de advogados especialistas no assunto. Por fim, foi feita uma consulta formal à Comissão de Valores Mobiliários para confirmar que o token não se caracteriza como valor mobiliário,

“Esse é um token que deve mudar a maneira como o futebol trata o mecanismo de solidariedade da FIFA. O Vasco é o primeiro clube do mundo a contar com esse token, mas queremos que outros clubes possam ter acesso a ele. Confiamos que estamos criando uma nova fonte de receita para os clubes”, afirma Gustavo Chamati, sócio e fundador do MB. 

Para definir o valor dos tokens, foi utilizado o valor de mercado atual dos jogadores segundo o site Transfermarkt.

É estimado que o Vasco tenha direito a cerca de R$ 50 milhões referentes aos direitos do mecanismo de solidariedade. Mas esse valor será atualizado e apresentado no lançamento oficial do token previsto para o próximo mês.

Mais detalhes da negociação

Depois que o token for lançado no MB, qualquer pessoa poderá adquiri-lo. Para isso, basta abrir uma conta gratuita na corretora.

Além dos 20% dos tokens por R$ 10 milhões, o MBDA também receberá mais 5% dos tokens pela prestação de serviços.

O Vasco ficará com 75% dos tokens e poderá comercializá-los assim que os 20% do MBDA forem vendidos.

Cada token será correspondente a uma fração de 1/500.000 dos valores a serem recebidos na venda de um jogador da base do Vasco pelo mecanismo de solidariedade.

O Mercado Bitcoin será o responsável pelos repasses dos valores aos investidores que adquirem os tokens.

Confira abaixo a tabela dos atletas que vão compor o token:

Leia também: Tokens pouco conhecidos valorizaram até 3.000% em 2020

Leia também: Confira 10 dicas para usar o PIX na Black Friday

Leia também: Investir em Bitcoin é fácil se você aprender aqui

Forex Crypto News: Cripto Facil