Fundos de criptomoedas registram queda pela primeira vez na pandemia

Fundos de criptomoedas registram queda pela primeira vez na pandemia

Após a recuperação nos meses seguintes à forte queda de março, os mercados voltaram a sofrer com perdas em setembro. E o mesmo ocorreu no mercado de criptomoedas.

No mês passado, praticamente todos os principais ativos digitais registraram perdas. O Bitcoin, por exemplo, caiu mais de 7%. Isso causou impacto também nos fundos de investimento.

Os recentes fundos de criptomoedas demonstraram isso em seus desempenhos, os piores para um mês desde o início da crise, em março. O levantamento foi realizado pelo site InfoMoney.

Fundos registram perdas em setembro

Os fundos com maior exposição, voltados para o investidor qualificado, acabaram tendo as quedas mais fortes.

Na Hashdex, dois fundos possuem essa característica. O Explorer, que tem exposição máxima de 40% a criptoativos, caiu 3,99%. Já o Voyager, que tem até 100% em criptoativos, caiu 8,78%.

O fundo Crypto Assets, da gestora BLP, tem 100% de exposição a criptoativos. O fundo teve uma queda de 9% em setembro.

O Genesis Block Fund, fundo parceiro da BLP, registrou queda de 13,25% no mesmo mês.

No entanto, os fundos voltados para investidores de varejo registraram perdas menores. O BLP Criptoativos, da gestora BLP, recuou 1,85%. Já o Discovery, da Hashdex, caiu 2,35%.

Impacto nas bolsas afetou criptoativos

Em sua carta mensal, a BLP destacou que o início do mês bastante negativo da bolsa nos Estados Unidos pesou no mercado.

No mês passado, o índice Nasdaq, que reúne as principais empresas de tecnologia, caiu forte por conta da correção das ações do setor. Isso assustou o mercado e também puxou o mercado de criptoativos para baixo.

Mesmo com o desempenho negativo no último mês, o Bitcoin e os fundos de criptoativos seguem com desempenhos bem positivos em 2020. Entre os fundos voltados para investidores qualificados, os ganhos anuais superam os 100%.

O BLP Crypto Assets terminou setembro com valorização acumulada em 2020 de 150,78%. O Voyager, da Hashdex, acumula valorização de 107,37%.

Nos fundos abertos, as altas também foram significativas. O BLP Criptoativos valorizou 24,06% e o Hashdex Discovery, 19,48%.

No meio do caminho ainda tem o Explorer, da Hashdex, com exposição de até 40%. Ele acumula valorização de 40,94%.

Mesmo o Bitcoin, apesar de cair quase 8% em setembro, ainda acumula ganhos de 50% no ano.

Leia também: Investidores de Bitcoin são otários, afirma famoso professor

Leia também: HSBC e outros bancos anunciam plataforma “descentralizada” em blockchain

Leia também: Famoso trader prevê mais quedas para Bitcoin e Ethereum

Forex Crypto News: Cripto Facil