Forbes: alta do Bitcoin é sinalizada por importante indicador

Forbes: alta do Bitcoin é sinalizada por importante indicador

Embora o preço do Bitcoin tenha recuado da faixa de US$ 12 mil, enfrentando dificuldade para romper a resistência e recuando para US$ 10 mil, os analistas seguem otimistas com o criptoativo.

Exemplo disto é o analista da Forbes, Joseph Young. Ele que afirma que uma nova alta no preço do Bitcoin pode ocorrer em breve.

Isso porque, segundo Young, os gráficos apontam uma “zona de compra” que vem sendo estabelecida desde março deste ano.

“Em março, o preço do Bitcoin despencou mais de 50%, para menos de US $ 3.600. Desde então, a criptomoeda subiu 197%, para US $ 10.700. Desde março, um sinal de “zona de compra” do indicador Hash Ribbon tem sido um catalisador BTC”, disse.

Hash Ribbon

Conforme explicou Young, o Hash Ribbon tem mantido uma posição de compra persistente.

“O indicador está sugerindo uma tendência de alta para o BTC novamente, após acender pela primeira vez em março”, afirmou.

O índice em questão é uma taxa baseada na quantidade de poder de computação que suporta a blockchain, o hash rate.

Assim, a teoria básica é que um ciclo de alta do Bitcoin começa quando os mineradores capitulam. Ou seja, quando os mineradores vendem uma quantidade significativa de BTC.

Quando isso ocorre, há menor pressão de venda externa sobre o Bitcoin. Dessa forma, aumenta a probabilidade de uma tendência de alta do BTC mais estável no médio prazo.

“Por causa do efeito do sentimento negativo e da ação do preço durante os mercados em baixa e os tempos de capitulação do minerador, o melhor momento para comprar Bitcoin é normalmente em algum lugar no meio do período de capitulação do minerador”, destaca Charles Edwards, criador do modelo Hash Ribbon.

Força de mercado

Nesse sentido, Young apontou que a taxa de hash continua a aumentar, indicando a força do mercado.

Ele detalhou que o aumento do hash rate alimenta os indicadores em cadeia baseados nessa taxa, que incluem o indicador Hash Ribbon.

Portanto, segundo o analista, como o hash rate não caiu drasticamente após o halving, isso indica que há muito otimismo no mercado.

“Em maio, ocorreu o halving. Assim, após o evento, se o preço do Bitcoin não aumentar substancialmente, ele se tornará menos lucrativo para a mineração. Dessa forma, o hash rate cai e a integridade geral da rede blockchain pode diminuir. Mas não foi isso que vimos, então o mercado está mostrando força”, concluiu.

Leia também: Tá acabando: apenas 11% do Bitcoin resta a ser minerado

Leia também: Bitcoin está perto de uma grande alta, afirma importante investidor

Leia também: Família vende tudo e investe em Bitcoin aguardando valorização

Forex Crypto News: Cripto Facil