Fintech brasileira recebe investimento do JPMorgan

Fintech brasileira recebe investimento do JPMorgan

O Fitbank é uma fintech brasileira que possibilita que qualquer empresa ofereça serviços bancários.

Dessa maneira, através da sua plataforma, os empresários podem gerar boletos e fazer empréstimos sem a intervenção de um banco.

Por conta disso, o Fitbank chamou a atenção do JPMorgan, que é a segunda maior instituição financeira do mundo.

Essa foi a primeira vez que o JPMorgan investiu em uma fintech de origem latino-americana.

Fitbank permite que empresas operem como bancos

O serviço oferecido pelo Fitbank é chamado de “banking as service” (banco como um serviço).

Dessa forma, através da plataforma da fintech, as empresas podem oferecer uma série de serviços, tais como:

  • Oferecer empréstimos e vaquinhas virtuais (“crowdfunding”, no termo em inglês);
  • Gerar boletos para a cobrança de produtos e serviços;
  • Plataforma de tesouraria online;
  • Soluções de gerenciamento de marketplaces e lojas virtuais, entre outros serviços.

Em resumo, o Fitbank permite que as empresas ofereçam serviços bancários por conta própria.

Isso permite que negócios que não são diretamente ligados ao mundo financeiro – como condomínios e lojas – possam oferecer serviços bancários com menos burocracia do que o usual.

Empresa atraiu investimento

O grupo JPMorgan Chase é tido como a segunda maior instituição financeira do mundo.

Dessa maneira, o JPMorgan possui um valor de mercado de R$ 1,60 trilhão. Esse valor é superior à soma de todos os Bitcoins existentes, que juntos valem R$ 1,46 trilhão.

Em comunicado oficial, o Fitbank publicou a posição da diretoria do JPMorgan sobre o tema:

“Este é nosso primeiro investimento estratégico na América Latina na indústria de pagamentos. Estamos ativamente aconselhando o mercado sobre as melhores soluções digitais para solucionar demandas de pagamentos e estamos ansiosos em continuar a apoiar nossos clientes na região”, disse Renata Vilanova Lobo, diretora de pagamentos do JPMorgan.

No entanto, o valor do aporte feito pelo banco estadunidense à fintech brasileira não foi divulgado pelas partes.

Leia também: PayPal tem grande demanda por Bitcoin e gera fila de espera

Leia também: Binance oferece rendimentos de até 10% em BNB

Leia também: Derivativos de criptoativos crescem mais de 300% em 3 anos

Forex Crypto News: Cripto Facil