Estados Unidos aplicam sanções contra cidadãos chineses acusados de lavagem de dinheiro para hackers da Coreia do Norte

Estados Unidos aplicam sanções contra cidadãos chineses acusados de lavagem de dinheiro para hackers da Coreia do Norte

O Escritório de Controle de Ativos Estrangeiros (OFAC, na sigla em inglês) do Departamento dos EUA anunciou na segunda-feira, 02 de março, a aplicação de sanções contra dois cidadãos chineses por seu papel na lavagem de fundos vinculados a um ataque contra uma exchange. Os ataques foram promovidos por hackers ligados ao governo da Coreia do Norte

De acordo com a declaração do OFAC, Tian Yinyin e Li Jiadong desempenharam um papel na movimentação de dinheiro, supostamente derivado das ações do chamado Grupo Lazarus, que está ligado ao governo norte-coreano. Acredita-se que os hackers tenham roubado bilhões de dólares em criptoativos nos últimos dois anos, conforme relatado pelo CriptoFácil.

“A República Popular Democrática da Coreia (RPDC) treina ciber atores para direcionar e lavar fundos roubados de instituições financeiras. Tian e Li receberam de contas controladas na RPDC aproximadamente US$91 milhões roubados em um ataque de abril de 2018 de uma exchange de criptomoedas (cujo nome não foi divulgado), além de US$9,5 milhões adicionais de um ataque a outra exchange. Tian e Li transferiram as criptomoedas entre os endereços que eles mantinham, ocultando a origem dos fundos”, afirmou a declaração do OFAC.

O hack em questão, de acordo com o OFAC, ocorreu em abril de 2018, resultando no roubo de um total de US$250 milhões em criptomoedas e “representando quase metade dos roubos estimados em moeda virtual feitos pela RPDC naquele ano”.

“Finalmente, Tian transferiu o equivalente a mais de US$34 milhões desses fundos ilícitos por meio de uma conta bancária recém-adicionada vinculada à sua conta em uma exchange. Tian também transferiu quase US$1,4 milhão em Bitcoin em cartões-presente pré-pagos da Apple iTunes, que em determinadas exchanges podem ser usado para a compra de Bitcoin”, explicou o OFAC.

Embora o documento do OFAC não mencione quais exchanges foram alvos dos hackers, a empresa Coinrail, com sede na Coreia do Sul, registrou um hack de US$40 milhões em junho daquele ano. Outras exchanges conhecidas por terem sido alvo de Lazarus ou hackers ligados à Coréia do Norte incluem Bithumb e Youbit, ambas também com sede na Coreia do Sul, embora esses ataques tenham ocorrido em 2017.

O OFAC também adicionou 20 endereços de Bitcoin à sua lista de sanções, todos vinculados a Tian e Li.

“O regime norte-coreano continuou sua ampla campanha de ciberataques contra instituições financeiras para roubar fundos”, disse o secretário do Tesouro Steven Mnuchin em comunicado. “Os Estados Unidos continuarão protegendo o sistema financeiro global, responsabilizando aqueles que ajudam a Coréia do Norte a se envolver em crimes cibernéticos.”

Separadamente, as ordens judiciais indicam que o governo dos EUA está tentando tomar posse de mais de 100 endereços de criptomoeda vinculados ao Lazarus, todos nas redes Bitcoin e Ethereum (ETH).

Leia também: Tokens são retirados de exchanges coreanas por preocupações envolvendo lavagem de dinheiro

Forex Crypto News: Cripto Facil