Esmeraldas da G44: técnico que validou as pedras já forjou laudo

Esmeraldas da G44: técnico que validou as pedras já forjou laudo

A G44 (ou G44 Brasil) recentemente anunciou um novo acordo para seus clientes. Trata-se do quarto acordo proposto pela G44, após a empresa interromper pagamentos e lesar seus clientes.

O novo acordo consiste em pagar os valores devidos aos investidores com esmeraldas.

Contudo, o valor das esmeraldas foi certificado pela empresa Tobias Geotecnologia. O problema é: o sócio-fundador da empresa já foi preso por forjar laudos de autenticidade anteriormente.

Esmeraldas da G44 podem não ter valor

O acordo, que consiste no pagamento com esmeraldas, é a mais nova tentativa da G44 de acertar as contas com seus investidores.

É possível ver a proposta na imagem abaixo, retirada do acordo ao qual o CriptoFácil obteve acesso:

Primeira cláusula do acordo proposto pela G44
Primeira cláusula do acordo proposto pela G44

Conforme informações obtidas pelo CriptoFácil, o certificado das esmeraldas foi feito pela empresa Tobias Geotecnologia.

Certificado sobre a validade das esmeraldas
Certificado sobre a validade das esmeraldas

Porém, o CNPJ da empresa está inapto. Isso significa que há mais de dois exercícios fiscais a empresa não entregou declarações de suas atividades.

Uma das consequências da inaptidão é a nulidade de documentos fiscais, de acordo com o artigo 48 da Instrução Normativa 1.863/2018 da Receita Federal.

Vale ressaltar ainda que, segundo a inscrição da empresa, seu sócio administrador é o geólogo Luiz Carlos Tobias da Silva.

Tobias já foi alvo de uma operação da Polícia Federal deflagrada em 2008. Intitulada Operação Akator, o objetivo era combater um esquema ilegal envolvendo mineração de ouro no Amapá.

Conforme noticiado pela Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef) à época, Tobias foi até mesmo preso.

Ele integrava uma organização criminosa que “forjava laudos para superestimar o potencial mineral da lavra de ouro da empresa Mineração Cachoeira”.

Segundo o Jornal do Brasil, a principal consequência do esquema foi lesar investidores da Bolsa de Valores do Canadá.

Os laudos eram forjados pelo geólogo a fim de inflar o preço da lavra, conforme dito anteriormente.

Tendo em vista a situação da empresa, bem como o recente passado de Tobias, é possível que as esmeraldas tenham uma história semelhante ao ouro da Mineração Cachoeira.

O que é G44?

A G44, ou G44 Brasil, é uma empresa que oferecia rendimentos por meio de supostas operações com criptomoedas.

No fim de 2019, a empresa interrompeu os pagamentos e lesou diversos clientes.

Desde então, diversos acordos foram propostos, mas nunca cumpridos. Além disso, a empresa já foi tema de reportagens em diferentes emissoras de televisão.

Atualmente, o futuro dos clientes da G44 é incerto. Sabe-se que seus sócios, Saleem Ahmed Zaheer e Joselita de Brito Escobar, estão nos Emirados Árabes.

Porém, o paradeiro exato de ambos é incerto.

Leia também: John McAfee é preso por ganhar R$ 126 milhões com ICOs

Leia também: Incidente do ouro em Serra Pelada impressiona entusiastas de Bitcoin

Leia também: Pagar resgate em ransomware será crime nos EUA

Forex Crypto News: Cripto Facil