Entenda a recente valorização do Bitcoin e outras criptomoedas

Entenda a recente valorização do Bitcoin e outras criptomoedas

No fim de semana do Natal, o Bitcoin deu de presente aos seus investidores um novo recorde histórico. A principal criptomoeda do mercado ultrapassou os US$ 28 mil, com uma valorização de 50% apenas no mês de dezembro. Em reais, o BTC superou os R$ 144 mil.

De acordo com dados obtidos pela ferramenta WorldCoinIndex, no momento da redação deste artigo, o criptoativo está cotado a R$ 141.821.

À rebote, outras criptomoedas como Ethereum e Litecoin também viram seus preços aumentarem.

Agora, uma reportagem da Forbes explica por que essas criptomoedas valorizaram subitamente.

Vaga de emprego impulsionou criptomoedas

Conforme explicou o colunista da Forbes, Billy Bambrough, é possível que esse rali tenha sido motivado por um anúncio de emprego.

Isso porque a maior gestora de ativos do mundo, a BlackRock, publicou um anúncio em 25 de dezembro de uma vaga para um executivo com foco em criptomoedas e blockchain. 

Mais especificamente, a BlackRock busca um vice-presidente de blockchain “para criar e implementar estratégias destinadas a impulsionar a demanda pelas ofertas da empresa”.

Assim, o novo colaborador ou colaboradora irá ajudar na avaliação de criptoativos. Paralelamente, deverá aumentar a “proposta de valor para os clientes dos investimentos e ofertas de tecnologia da empresa.”

Portanto, os candidatos devem ser capazes de “articular metodologias de avaliação fundamentais para criptoativos.

Além disso, devem “descentralizar os modelos de governança associados à tecnologia de blockchain”.

Em seguida a este anúncio, como observou a Forbes, o preço do Bitcoin saltou 10%. O Ethereum, por sua vez, valorizou 15% chegando aos US$ 700, o maior valor desde 2018. Da mesma forma, o Litecoin valorizou 15% chegando aos US$ 130.

Atualmente, a BlackRock administra cerca de US$ 8 trilhões em ativos. Nas últimas semanas, seu diretor de investimentos disse que o Bitcoin “veio para ficar” e isso movimentou o mercado de criptomoedas.

Já o presidente-executivo Larry Fink alertou que o crescimento da popularidade do Bitcoin está tendo um “impacto real” sobre o dólar dos Estados Unidos.

Criptoesfera está otimista com BTC

Nesse sentido, a criptoesfera está se otimista com o Bitcoin:

“Os principais níveis de Bitcoin que o mercado tem em vista de curto prazo são US$ 30.000 e US$ 36.000″, disse o trader de criptomoedas Alex Krüger.

Ele também destacou que está confiante de que mais investidores institucionais e gigantes de Wall Street entrarão neste mercado.

“Novos investidores precisam ser capazes de tolerar uma correção de 20%, pois ela virá, provavelmente em breve”, disse Krüger. “Ainda espero preços muito mais altos em 2021. E, enquanto a alavancagem e o posicionamento não se tornarem muito extremos, medidos pelas taxas de financiamento e métricas de contratos em aberto, não vou me preocupar com o lado negativo. Aposto que muitos grandes nomes em breve anunciarão novas posições de Bitcoin. Outros ainda estão por vir”, finalizou.

Leia também: Criptomoeda dispara 550% em meia hora após polêmica

Leia também: Mais de 5%: instituições superam mais de 1 milhão de Bitcoins adquiridos

Leia também: Ethereum rompe US$ 700 pela primeira vez desde 2018

Forex Crypto News: Cripto Facil