China pode usar sua moeda digital para controlar o comércio internacional

China pode usar sua moeda digital para controlar o comércio internacional

A China é o país com o projeto de moeda digital mais avançado da atualidade.

Dessa maneira, o yuan digital já está sendo testado por empresas e instituições autorizadas pelo governo chinês há meses.

Enquanto isso, a União Europeia está planejando a criação do euro digital, enquanto os EUA seguem apenas nas conversas sobre a criação do dólar digital.

Porém, é possível que o yuan digital possibilite à China controlar a atividade comercial de outros países.

Yuan digital é controlado pela China

Bitcoin (BTC), Ethereum (ETH) e diversas outras criptomoedas são descentralizadas.

Na prática, isso significa que essas moedas não são controladas por uma autoridade central.

Assim, a sua emissão e o seu funcionamento são dependentes de um código de programação, mas não de decisões pessoais ou políticas.

No entanto, existem criptomoedas que são centralizadas, como é o caso da Tether, que emite o USDT. XRP e Cardano (ADA) também são exemplos de criptomoedas centralizadas.

O yuan digital, por sua vez, é emitido pelo Banco Popular da China, que é a principal autoridade monetária do país.

Por esse motivo, o yuan digital é uma moeda digital emitida por um Banco Central (CBDC, na sigla em inglês).

A moeda digital da china pode permitir a espionagem do comércio exterior

O yuan digital pode ser rastreado pelo governo chinês, já que é emitido pelo Banco Central da China.

Esse fator pode ter uma grande importância no futuro do comércio exterior, caso a moeda tenha um alcance global.

A preocupação sobre essa possível brecha de segurança foi publicada em um artigo do Deutsche Welle (DW), que é um dos maiores veículos de comunicação da Alemanha.

Dessa forma, em entrevista para o DW, o gerente de projetos da Fundação Konrad Adenauer afirmou:

“Digamos que a China compre produtos de um país e os pague com o yuan digital. Então, esse país compra algo de outra nação e faz o pagamento com aquele yuan digital recebido da China. Teoricamente, é possível que o Banco Popular da China tenha acesso aos dados de comércio entre os dois países, incluindo o objeto da negociação.”

Até o momento, não há como definir a capacidade de a China rastrear os pagamentos feitos com o yuan digital.

Entretanto, essa é uma possibilidade que pode moldar o sucesso ou o fracasso na adoção internacional da moeda digital chinesa.

Leia também: John McAfee é preso por ganhar R$ 126 milhões com ICOs

Leia também: Tokens DeFi tiveram as piores quedas em setembro, revela ranking

Leia também: Bitcoin caminha para valer R$ 550 mil em 2025, afirma Bloomberg

Forex Crypto News: Cripto Facil