Carteiras de criptomoedas: confira as melhores opções para usar com segurança

Carteiras de criptomoedas: confira as melhores opções para usar com segurança

Ao falar sobre criptomoedas com alguém, você já ouviu a frase “exchange não é carteira”? Essa é uma das primeiras lições que muitos aprendem sobre o assunto. Afinal, ninguém gosta de deixar seu dinheiro em risco. E sim, deixar criptomoedas em exchanges é arriscado.

Ao criar o Bitcoin, Satoshi Nakamoto deu ao mundo uma ferramenta que nos permite sermos donos do nosso dinheiro. Para que isso se torne realidade, é fundamental entender como funcionam as carteiras de criptomoedas. No entanto, muitas pessoas não utilizam uma carteira por medo ou por não entender como funciona.

Entretanto, a não ser que você faça trade, deixar suas criptomoedas em uma exchange é uma opção ainda menos segura. São muitos os casos de empresas que foram hackeadas e tiveram grandes perdas de criptomoedas. Por isso, este guia vai ensinar você a cuidar bem e escolher quais as melhores carteiras de criptomoedas para o seu perfil.

Carteiras de criptomoedas: tipos e categorias

Inicialmente, vamos conhecer quais são os tipos e categorias de carteiras criptomoedas que existem atualmente. Como são várias, neste guia iremos dividir as carteiras em quatro tipos. Esses tipos, por sua vez, estarão dentro de duas grandes categorias, de acordo com o funcionamento de cada dispositivo ou aplicativo. 

Assim, temos duas categorias de carteiras: carteiras on-line e carteiras off-line, também conhecidas como quentes ou frias. Dentro dessas grandes categorias se encaixam os seguintes tipos: carteira mobile, carteira para desktop, multiuso, carteira de hardware (ou hard wallet) e carteira de papel (ou paper wallet). Cada dispositivo possui suas vantagens e desvantagens no uso, e é isso que vamos conhecer agora. Primeiro, vamos às categorias.

Carteira quente ou carteira on-line 

Esse tipo de carteira funciona através de um aplicativo com conexão com a internet. Ela geralmente é uma carteira mais própria para o uso no dia a dia, para quem pretende gastar suas criptomoedas. Por conta disso, elas também são apelidadas de carteiras quentes (em inglês, hot wallets), pois não são feitas para manter dinheiro por muito tempo. As carteiras mobile, desktop e multiuso se encaixam neste tipo.

Carteira fria ou carteira off-line 

A carteira fria é feita para possuir pouco ou nenhum contato com a internet. Na prática, ela funciona como um cofre, que armazena e protege criptomoedas de maneira segura. Essas carteiras impedem que hackers possam roubar suas criptomoedas com facilidade. No entanto, elas são pouco práticas para o uso no dia a dia. A hard wallet e a carteira de papel são exemplos de carteiras frias.

Carteiras de criptomoedas: conheça os tipos

Além da divisão por categorias, é importante saber quais são os tipos de carteiras de criptomoedas. Isso porque, apesar dos diferentes graus de segurança, uma carteira deve ser prática ao seu usuário. Desta forma, é importante ter ciência de todas as opções que o mercado apresenta.

Carteiras mobile

As carteiras mobile são projetadas para funcionar em dispositivos móveis, como tablets e smartphones. É a opção mais fácil para quem está iniciando no mundo de criptomoedas, pois pode ser utilizada em qualquer lugar. As carteiras mobile são excelentes para quem busca praticidade na hora de utilizar criptomoedas.

Carteiras mobile
Carteiras mobile

No entanto, elas não são 100% seguras para armazenar criptomoedas por um tempo longo. Como são conectadas à internet, existe o risco de algum hacker conseguir acesso ao dispositivo e roubar seus fundos. Esse risco pode ser maior ou menor dependendo da carteira, mas por precaução jamais as utilize para guardar grandes somas de dinheiro. Alguns exemplos de carteiras mobile são:

  • Electrum: a Electrum é uma das mais antigas carteiras de Bitcoin existentes, pois foi criada em 2011. Ela possui versões mobile e desktop, porém já teve alguns casos de ataques e roubos de criptomoedas (Android);
  • BRD (antiga Breadwallet): assim como a Electrum, a BRD é bastante conhecida da comunidade. Ela é bastante prática para uso e tem suporte a diversas criptomoedas (Android e iOS);
  • Mycelium: a Mycelium armazena apenas Bitcoin, porém é uma das carteiras mobile mais seguras que existem. Ela não armazena a chave privada no dispositivo, o que torna mais difícil um hacker invadir a carteira e roubar os fundos (Android e iOS);
  • Freewallet: a Freewallet também possui versão mobile e desktop. Esta carteira permite a troca direta entre criptomoedas e até mesmo tokens ERC-20 (Android e iOS);
  • Samourai: segurança e privacidade são os principais focos da Samourai. Ela possui uma avançada tecnologia de privacidade que mantém o anonimato do usuário e suas transações (Android).

Carteiras para desktop

As carteiras para desktop possuem um funcionamento semelhante ao das carteiras mobile, pois também utilizam conexão com a internet. No entanto, elas são exclusivas para computadores, notebooks e outros dispositivos “fixos”, por assim dizer. No entanto, algumas carteiras, como a Electrum, possuem versões tanto para dispositivos móveis quanto para desktop.

Carteira Exodus
Carteira Exodus

As carteiras para desktop conseguem ter um grau de segurança maior que as mobile. Embora sejam menos seguras que as carteiras frias, isso não significa que não sejam seguras. Tudo depende de qual carteira você utilizará. Por exemplo, a carteira “oficial” do Bitcoin, a Bitcoin Core, é uma das mais seguras que existem, pois roda o software original da criptomoeda. Alguns exemplos de carteiras desktop são:

  • Exodus wallet: a Exodus é uma das carteiras mais completas para desktop. Ela permite o armazenamento de múltiplas criptomoedas e também fazer a gestão de seu portfólio, acompanhando quantidade de criptomoedas, preço e a valorização de cada uma;
  • Electrum: como já citada nas carteiras mobile, a Electrum está disponível também para desktop com as mesmas funcionalidades;
  • Bitcoin Core: é a carteira “oficial” do Bitcoin Core. Este foi o primeiro software de carteira, lançado em 2009 por Satoshi Nakamoto junto com o Bitcoin. Ela é a mais segura entre as carteiras de desktop e ainda dá ao usuário a oportunidade de rodar um nó e colaborar com o funcionamento do Bitcoin;
  • Freewallet: como já citada nas carteiras mobile, a Freewallet está disponível também para desktop com as mesmas funcionalidades

Carteiras multiuso

As carteiras multiuso são carteiras criadas para dispositivos móveis. Porém, ao contrário das carteiras mobile, elas possuem muito mais funções. De certa forma, elas funcionam como aplicativos de internet banking, permitindo não apenas enviar e receber criptomoedas.

Muitas dessas carteiras são emitidas por bancos digitais que também trabalham com criptomoedas. Nelas, você pode fazer pagamento de boletos, comprar recargas de celulares ou de outros serviços (como Uber e Netflix) e converter suas criptomoedas em reais. Essas carteiras também costumam oferecer contas bancárias com suporte para criptomoedas.

Bitcoin Card
Bitcoin Card

Além disso, muitas delas oferecem cartões de débito que podem ser recarregados com criptomoedas, tornando mais fácil gastar seus fundos no “mundo real”. Carteiras de Bitcoin são as mais comuns desse nicho, tendo em vista a popularidade do criptoativo. Alguns exemplos de carteiras multiuso são:

  • Bitfy: a Bitfy é uma junção de carteira de criptomoedas, uma cartela de serviços e compra de bitcoin de maneira facilitada. O aplicativo também oferece serviços como compras com Bitcoin em serviços como Rappi, iFood e pagamentos de boletos (Android e iOS);
  • Z.ro Bank: o Z.ro Bank é um banco digital que oferece uma conta bancária com suporte a criptomedas. Nele você pode guardar suas moedas, fazer transferências de moedas fiduciárias, gastá-las e tem um cartão de débito para usar em qualquer maquineta (Android e iOS);
  • Alterbank: mais um banco digital, o Alterbank possui funções semelhantes ao Z.ro Bank. Ele oferece uma conta bancária multimoedas, pagamento de boletos, compra de criptomoedas e conversão para reais, além de um cartão internacional (Android e iOS).

Hard wallet ou carteiras de hardware

A hard wallet, ou carteira de hardware, é um dispositivo feito especificamente para armazenar criptomoedas. Essas carteiras ainda precisam de um computador para serem acessadas. No entanto, elas guardam suas chaves privadas diretamente nos dispositivos, que permanecem sem conexão com a internet

Hard wallet
Hard wallets

Por isso, você pode utilizar uma carteira de hardware mesmo em um computador repleto de vírus com segurança. O dispositivo “blinda” sua chave privada e impede que qualquer sistema malicioso ou hacker consiga acessá-lo remotamente. A única forma de roubar fundos de uma carteira de hardware é tendo acesso ao dispositivo e à senha. Os principais tipos de carteiras de hardware são:

  • Trezor: a Trezor é criada e mantida pelo Satoshi Labs. Criada em 2013, ela foi a primeira hard wallet a surgir. Ela possui suporte a mais de 1.000 criptomoedas e um alto nível de segurança para seus fundos. Além disso, a Trezor possui uma revenda oficial no Brasil através da KriptoBR;
  • Ledger: concorrente direta da Trezor, a Ledger é uma das principais fabricantes de hard wallet. Seu grande diferencial é a variedade de dispositivos que possui, indo do modelo básico (Ledger Nano S) até os mais avançados (Nano X e Ledger Blue). A Ledger possui suporte para mais de 1.500 criptomoedas e tokens de vários formatos;
  • KeepKey: a KeepKey é uma carteira criada pela exchange ShapeShift. Além de ter proteção das chaves privadas e preservar os fundos dos usuários, a KeepKey possui integração com a plataforma ShapeShift. Isso permite negociar criptomoedas de forma fácil e prática;
  • Opendime: o Opendime não é exatamente uma carteira. Trata-se de um pequeno dispositivo USB semelhante a um pen drive. Ele permite que você gaste seus Bitcoins assim como uma nota de real, simplesmente dando o dispositivo a outras pessoas.

Como proteger suas senhas

Tão importante quanto conhecer os tipos de carteiras é saber como proteger a chave privada. Toda carteira de Bitcoin possui pelo menos dois endereços: a chave pública e privada. A chave pública é utilizada para receber transações, enquanto a chave privada protege seus criptomoedas e garante que só o controlador da chave pode acessá-las.

Essa chave costuma ser protegida por uma sequência de palavras aleatórias conhecida como seed. Essa seed geralmente é formada por 12 ou 24 palavras. É fundamental guardá-la bem. Caso você perca essa senha, não há como recuperá-la e suas criptomoedas ficarão perdidas para sempre.

Muitas pessoas anotam as senhas em papel. Mas isso possui uma série de riscos, pois papéis podem se desgastar com o tempo ou serem destruídos por elementos como água e fogo. No Brasil, existe um dispositivo chamado KriptoSteel, uma placa de aço desenvolvida pela KriptoBR que protege suas palavras contra fogo, corrosão e permite anotar sua senha de forma muito mais segura e duradoura.

KriptoSteel
KriptoSteel

Paper wallet ou carteiras de papel

As paper wallets ou carteiras de papel são as carteiras mais seguras. Elas não possuem qualquer conexão com a internet, o que faz delas ideais para guardar criptomoedas no longo prazo. As desvantagens dessas carteiras são a falta de praticidade no uso diário e o risco de perda. Nós temos um tutorial completo de como criar uma paper wallet.

Paper wallet
Paper wallet

Leia também: Como comprar criptomoedas? Aprenda tudo que você precisa com esse guia

Leia também: O que é criptomoeda? Saiba o que é e como funciona

Leia também: Como o valor do Bitcoin é determinado? Entenda o cálculo

Forex Crypto News: Cripto Facil