Brasil assina acordo de blockchain com países árabes

Brasil assina acordo de blockchain com países árabes

Com o objetivo de integrar o sistema brasileiro ao de países árabes, o Brasil assinou na terça-feira (20) um “Memorando de Integração Blockchain Brasil-Árabe”.

O acordo vai permitir a integração de sistemas certificadores, ministeriais e das câmaras de comércio dos países.

Assim, agilizando todo o processo de documentação com maior credibilidade a partir do uso da tecnologia blockchain.

O memorando foi assinado virtualmente durante o Fórum Econômico Brasil & Países Árabes.

Ellos Blockchain

Conforme noticiou a Agência de Notícias Brasil-Árabe (ANBA), o sistema em questão é o Ellos Blockchain.

A solução desenvolvida pela Câmara Árabe promete revolucionar as transações comerciais entre o Brasil e os países árabes.

O Ellos é uma cadeia de registros de transações comerciais, bancárias, de compra e venda e exportações.

O gerente de Tecnologia da Informação da Câmara Árabe, Marcos Bulgarelli, explicou que cada dado na plataforma gera uma linha de registro replicada em vários servidores pelo mundo.

Dessa forma, é possível garantir a segurança das informações e evitar fraudes.

“Cada cadeia de blocos possui uma série de informações criptografadas, altamente segura. Assim, todas as transações são guardadas e não podem ser alteradas ou deletadas”, disse Bulgarelli.

Ferramenta vai dar garantias ao consumidor árabe

O secretário-geral da Câmara Árabe, Tamer Mansour, esteve presente durante a assinatura do acordo.

Na ocasião, ele destacou que o sistema tem dois objetivos. O primeiro é que os parceiros usem a plataforma para agendar reuniões, fazer vitrines virtuais, entre outras coisas.

O segundo objetivo tem a ver diretamente com a tecnologia blockchain. Assim, visa garantir ao consumidor árabe que tudo que ele compra do Brasil tenha transparência, qualidade, garantia e halal (itens permitidos pela religião), quando necessário.

Mansour ainda comentou que a Câmara Árabe fechou uma parceria com Jordânia há cerca de um ano para iniciar o processo de certificação digital.

“Desde então começamos a trabalhar muito para a criação de diversos aspectos digitais garantindo a segurança, e aí a pandemia começou. Se a pandemia trouxe algo de positivo foi essa questão de desburocratização e de acelerar os documentos de maneira digital. Foi aí que fechamos nosso sistema de blockchain e criamos uma plataforma completa”, contou.

Leia também: Usuário perde R$ 6 milhões em criptomoedas por usar o endereço errado

Leia também: Hackers de famosa corretora doam Bitcoin para a caridade

Leia também: PIX é revolução de pagamentos instantâneos, afirma Bloomberg

Forex Crypto News: Cripto Facil