Bitcoin marca presença em protestos contra racismo nos EUA

Bitcoin marca presença em protestos contra racismo nos EUA

Os protestos que ocorrem nos Estados Unidos entraram no seu oitavo dia. Milhares de pessoas saíram às ruas em um movimento que começou pacífico, mas teve alguns momentos de violência.

A causa das manifestações foi a morte de George Floyd, homem negro que foi asfixiado por um policial branco na cidade de Minneapolis. O oficial foi preso, mas a onda de protestos se alastrou por várias cidades do país.

E a comunidade de entusiastas de criptomoedas marcou presença nos protestos. Ora com apoios aos manifestantes, ora com participação direta, tais momentos sempre mostram a oportunidade para que o Bitcoin apareça.

Nomes de peso apoiam manifestantes

Pelo menos dois nomes relevantes na comunidade de criptomoedas manifestaram apoio aos manifestantes. O primeiro deles foi o CEO da exchange Binance, Changpeng “CZ” Zhao. Ele escreveu uma simples frase em seu Twitter na segunda-feira, 01 de junho: “O Bitcoin é um protesto pacífico.”

Outro que também se manifestou em apoio aos protesto foi o CEO da Ripple Labs, Brad Garlinghouse. “Embora eu nunca consiga entender completamente a dor da nossa comunidade negra causada por eventos recentes e passados, eu sou solidário com todos os que estão lutando para salvar vidas negras”, afirmou Garlinghouse.

 

O perfil não-oficial do Bitcoin no Twitter também se manifestou. “Falsificação de trilhões de dólares: o estado nem pisca o olho. Falsificação de US$ 20: o estado perde a cabeça.”

A mensagem faz alusão ao suposto crime de Floyd, que foi ter passado uma nota falsa de US$ 20 em um supermercado. Ao mesmo tempo, faz ironia com a impressão de bilhões de dólares feita pelo banco central dos EUA (Fed). A primeira falsificação é crime; já a segunda, não.

Manifestante leva cartaz pró-Bitcoin

Além de apoios à distância, manifestantes pró-Bitcoin também estiveram nos protestos. A jornalista Jessica Huseman postou em seu Twitter uma foto de um homem portando um cartaz onde estava escrito: “Bitcoin nos salvará.”

Aparentemente, a foto foi postada como uma crítica, visto que Huseman a colocou logo após uma mensagem na qual criticava pessoas que “se aproveitavam das manifestações.”

“90% das pessoas que eu vi jogando coisas, brigando com policiais no gripo, parados no meio da rampa, etc, eram brancos. Há pessoas aqui para protestar, e há pessoas aqui para tirar proveito do caos.”

Presença do Bitcoin em protestos

Não é de hoje que manifestantes pró-Bitcoin aproveitam outros protestos para divulgar suas ideias. Durante os protestos de Hong Kong, o Bitcoin foi utilizado como ferramenta de resistência pelos manifestantes e, inclusive, para evitar o uso do sistema bancário, altamente controlado pelo governo.

Ja na Venezuela, o artista francês Pascal Boyale trabalhou com artistas locais para estimular o uso de criptoativos. Boyale é um dos mais conhecidos artistas pró-Bitcoin, tendo pintado vários murais inspirados no criptoativo na França.

Leia também: Hacker que invadiu quase 5 mil sites de 40 países e que vendia dados por Bitcoin é localizado em Uberlândia 

Leia também: Jogadores de Minecraft poderão criar seus próprios ativos em blockchain

Leia também: Golpes no Facebook usam artigos falsos da Forbes sobre criptomoedas

Forex Crypto News: Cripto Facil