Bitcoin e criptomoedas não configuram bolha, revela estudo da UFRJ

Bitcoin e criptomoedas não configuram bolha, revela estudo da UFRJ

Um estudo da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) divulgado recentemente concluiu que os retornos positivos sobre aplicações em Bitcoin e altcoins nos últimos cinco anos não configuram bolhas especulativas.

Isso porque, segundo os autores, o levantamento mostra que as somas dos ganhos consecutivos superaram o total de perdas consecutivas.

Dessa forma, o estudo reforçou que a formação de bolhas especulativas no Bitcoin e outros criptoativos é inexistente.

“A existência de bolhas especulativas no Bitcoin já havia sido testada, e rejeitada, pela literatura. Confirmamos isso e estabelecemos conexão entre bolhas e sequências de altas nas cotações. E concluímos que, via de regra, a soma dos ganhos seguidos foi maior do que a totalização das perdas consecutivas”, escreveram os autores.

Volatilidade das criptomoedas

Conforme noticiou o Valor Investe nesta quarta-feira (16), os autores ainda observaram que as trajetórias de preço das criptomoedas podem ser influenciadas por diversos fatores.

Eventos econômicos e políticos, regulação de governos, especulações e ataques hackers são alguns deles. 

O levantamento ainda analisou a volatilidade das principais criptomoedas do mercado. São elas: Bitcoin, Ethereum, Ripple, Litecoin, Stellar e Monero. O levantamento foi feito entre agosto de 2015 e junho de 2020. 

Assim, o estudo concluiu que os picos de volatilidade ainda geram um panorama de risco maior que o de moedas fiduciárias.

Vale ressaltar que a volatilidade é uma métrica que indica o quanto determinado ativo pode variar em um período do tempo. Ela é bastante associada ao risco de investimento em determinado ativo.

Correlação entre criptoativos aumentou

Além disso, os pesquisadores observaram que a interdependência entre os criptoativos vem aumentando nos últimos anos. De acordo com o estudo, a correlação chegou a 75%.

Por fim, os autores também concluíram que as volatilidades das moedas digitais podem ser analisadas a partir de alguns modelos estatísticos existentes. 

Embora esses modelos sejam mais amplamente aplicados aos ativos financeiros, também podem ser empregados para criptoativos.

Leia também: Bitcoin rompe US$ 20 mil e registra maior preço da história

Leia também: Executivo da Ripple afirma: Bitcoin é à prova de balas

Leia também: Tether emite R$ 1 bilhão em USDT; alta do Bitcoin vem aí?

Forex Crypto News: Cripto Facil