Adoção de criptomoedas é maior em países em desenvolvimento, revela pesquisa

Adoção de criptomoedas é maior em países em desenvolvimento, revela pesquisa

Uma pesquisa da Statista mostra que os habitantes dos países em desenvolvimento são os mais acostumados a utilizar as criptomoedas.

Dessa maneira, a Nigéria, o Vietnã e a África do Sul lideram a lista dos países nos quais as criptomoedas são mais comuns.

Países em desenvolvimento lideram o uso das criptomoedas

Dan Tapiero é um investidor e influenciador das criptomoedas.

Na segunda-feira (19), Tapiero publicou a seguinte imagem no Twitter:

Criptomoedas
Criptomoedas

“Ainda é cedo para o Bitcoin.

A criptomoeda está na sua fase de nascimento como uma nova classe de ativo global.”

A pesquisa revela o percentual de residentes em países selecionados que afirma já ter utilizado criptomoedas em algum ponto da vida.

Conforme se denota da imagem, a Nigéria lidera a lista, com 32%. Na sequência, vem o Vietnã, (21%),  a África do Sul (17%), a Turquia (16%) e o Peru (16%).

Desse modo, os países desenvolvidos aparecem apenas a partir da sexta posição no ranking da Statista.

Ademais, chama a atenção o fato de que apenas 7% dos residentes estadunidenses afirma ter tido contato com alguma criptomoeda.

Países adotam as criptomoedas por diferentes razões

A Nigéria está passando por um momento político-econômico delicado.

Nesse momento, protestantes estão utilizando a hashtag #endSARS para criticar a SARS, que é uma unidade especial de polícia do país.

De acordo com os críticos, a SARS é responsável pelo cometimento de vários crimes contra a população nigeriana.

Assim, algumas pessoas estão apoiando o uso de Bitcoin para custear as manifestações na Nigéria:

@BenedicDayas
@BenedicDayas

“O governo está tentando nos vigiar através das ligações e pelo SMS.

Tenha certeza de ativar o seu VPN, fazer pagamentos em Bitcoin e ligar pelo Whatsapp.

Vamos ensinar a eles o que é ser inteligente. #EndSARS”

O Vietnã, por sua vez, atravessa um bom momento econômico. Em 2019, o PIB do país cresceu 7%, assim como já tinha ocorrido em 2018.

A África do Sul e a Turquia, por sua vez, enfrentam quadros de crise econômica há alguns anos.

Logo, o Bitcoin está sendo utilizado como uma alternativa de reserva de valor à moeda fiduciária desses países.

Leia também: Moeda digital municipal é proposta de candidato à Prefeitura de Ribeirão Preto

Leia também: Crítico do Bitcoin é suspeito de facilitar sonegação de impostos

Leia também: Família de São Paulo paga R$ 2 bilhões em imposto sobre transação internacional

Forex Crypto News: Cripto Facil