90% das transações de Bitcoin ocorrem em exchanges, aponta estudo

90% das transações de Bitcoin ocorrem em exchanges, aponta estudo

Embora a blockchain seja fundamental para o funcionamento das transações em Bitcoin, a grande maioria das negociações com o criptoativo não são registradas na plataforma.

É o que sugere um estudo recente da Universidade de Cambridge.

Segundo o relatório, 90% das trocas ocorrem em exchanges, plataforma que favorecem o uso de Bitcoin (BTC).

Isso porque possuem uma demanda maior nos mercados e têm capacidade de conversão para outras moedas.

Transações com Bitcoin

A conclusão mencionada é do ” Terceiro Estudo Comparativo de Criptomoedas” da Cambridge School of Business. O estudo se concentrou na análise de 25 criptomoedas, incluindo o Bitcoin.

Nesse sentido, o relatório da universidade indica que, durante 2020, as exchanges começaram a aceitar mais stablecoins e moedas fiduciárias locais para operações em suas plataformas.

De acordo com o levantamento, 55% das exchanges começaram a aceitar stablecoins em 2o20. Em 2018, data do último relatório, eram apenas 11%.

Stablecoin difundidas

A stablecoin que a maioria das exchanges passou a aceitar em 2020 foi a Tether (USDT), que agora é negociada em 32% das plataformas contra apenas 4% em 2018.

Ainda segundo o documento, as stablecoins podem estar sendo usadas ​​como uma alternativa para contornar a volatilidade de outras criptomoedas.

Além disso, a queda do mercado em março levou as stablecoins a serem ​​negociadas abaixo de seu valor de paridade, permitindo um prêmio após a negociação.

Ethereum perdendo espaço?

O estudo também identificou que a criptomoeda Ethereum (ETH) permanece posicionada como a segunda criptomoeda mais aceita nas exchanges em 2020.

Entretanto, seu suporte caiu 2 pontos nessas plataformas.

Já o domínio do Bitcoin como a criptomoeda mais usada nas exchanges diminuiu em 2020. Agora, “apenas” 90% das plataformas aceitam o criptoativo. Em 2019 eram 98%.

Segundo o estudo, a causa deste declínio pode corresponder ao boom das finanças descentralizadas (DeFi).

Isso porque os protocolos não só aumentaram a aceitação de stablecoins, mas permitiram que mais exchanges passassem a operar tokens ERC-20 do Ethereum.

Na verdade, 27% das exchanges já aceitam esses tokens. Isso se dá, provavelmente, devido ao surgimento de várias plataformas especializadas em negociação financeira descentralizada ou DeFi.

Leia também: CEO do Twitter: Bitcoin e blockchain são futuro da rede social

Leia também: Bitcoin pode substituir o ouro daqui uma geração, afirma empresário

Leia também: Como o valor do Bitcoin é determinado? Entenda o cálculo

Forex Crypto News: Cripto Facil