Roupas que usam plástico dos oceanos conta com blockchain para rastreabilidade

A Waste2Wear, empresa holandesa que fabrica tecidos a partir de garrafas plásticas recicladas, apresentou a primeira coleção do mundo de tecidos plásticos oceânicos recicláveis ​​que é totalmente rastreável usando a tecnologia blockchain na feira internacional têxtil Première Vision, que aconteceu nesta semana, entre os dias 17 a 19 de setembro, em Paris, na França.

Segundo o site Fashion United, a empresa implantou a tecnologia blockchain com o intuito de trazer mais transparência à cadeia de suprimentos de têxteis reciclados. No comunicado, a empresa afirmou que:

“A blockchain documenta e registra a jornada dos resíduos de plástico, passo a passo, para se tornar um produto têxtil acabado. Isso permite que o Waste2Wear rastreie materiais reciclados desde a origem, desde os pescadores e catadores que coletaram o plástico, até o produto final e todas as etapas intermediárias. Permite que a empresa forneça aos seus clientes total transparência. Não há dúvida de que todos os tecidos e produtos têxteis são feitos com resíduos de plástico pós-consumo coletados nos oceanos e salvos de acabar em aterros.”

De acordo com a reportagem, o plástico usado para os tecidos vem das áreas costeiras da China, onde muitos pescadores perderam o emprego devido a proibições da atividade de pesca. Com isso, a empresa, junto com uma ONG, fez uma parceria com o governo local para permitir que esses ex-pescadores retirassem o plástico do oceano e fossem pagos pelo seu esforço. Ainda foi reportado que mais de 30 toneladas de resíduos do oceano são coletadas todos os meses.

Os tecidos 100% poliéster reciclados são fabricados com fios de filamentos torcidos, com um grande número de fibras, aumentando a respirabilidade e tornando-os muito confortáveis ​​de usar. A empresa ainda criou tecidos especiais para roupas esportivas que têm um transporte de umidade e respirabilidade oito vezes melhores que o da Adidas. Atualmente, os tecidos da Waste2Wear são usados ​​para uma variedade de produtos, de roupas esportivas e de trabalho a itens básicos de moda e até uniformes e bolsas escolares.

“O fato de vivermos em uma idade descartável não significa que os plásticos que descartamos simplesmente desaparecem do ambiente. O plástico leva centenas de anos para se decompor. É por isso que achamos importante que os tecidos e produtos têxteis que fabricamos sejam de plástico pós-consumo realmente coletado de oceanos e aterros sanitários.”

Leia também: Startup brasileira quer combater o trabalho escravo utilizando a tecnologia blockchain

Forex Crypto News: Cripto Facil