Rede do Bitcoin bate novo recorde; Novos ASICs entram em funcionamento

O poder computacional dedicado à mineração de Bitcoin atingiu mais uma nova alta, sugerindo que mais de 600 mil novas e poderosas máquinas podem ter entrado em funcionamento nos últimos três meses, conforme mostra o artigo da Coindesk.

De acordo com dados do pool de mineração de criptoativos BTC.com, a taxa média de duas semanas do hash do Bitcoin ultrapassou outro grande limite, atingindo 85 exahashes por segundo (EH / s) por volta das 19:00 UTC na última sexta-feira, 13 de setembro. Enquanto isso, o nível de dificuldade de mineração também se ajustou a um novo recorde de quase 12 trilhões.

Notavelmente, os dois números saltaram 60% desde 14 de junho, conforme mostram os dados.

O nível de dificuldade de mineração do Bitcoin – uma medida de quão difícil é criar um novo bloco na rede – é ajustada após 2.016 blocos, ou aproximadamente a cada duas semanas. Isso garante que o tempo para produzir um bloco permaneça em torno de 10 minutos, mesmo quando a quantidade de poder de hash, implantada por máquinas em todo o mundo, competindo para ganhar Bitcoins recém-criados, flutua.

Vários novos modelos de mineradoras de circuitos integrados para aplicações específicas (ASIC, na sigla em inglês) chegaram ao mercado durante este inverno, com uma potência média de hash em torno de 55 tera hashes por segundo (TH / s).

Assumindo que todos os 35 EH / s de poder de hash adicionados desde meados de junho vieram desses modelos de primeira linha, um cálculo sugere que mais de meio milhão dessas máquinas foram conectadas à rede do Bitcoin. (1 EH / s = 1 milhão de TH / s)

Essas poderosas mineradoras ASIC, fabricadas por empresas gigantes como Bitmain, Canaan, InnoSilicon e MicroBT, custam entre US$1.500 e US$2.500 cada. Portanto, se mais de meio milhão delas fossem entregues, como estimado acima, os principais fabricantes de mineradoras poderiam ter faturado US$1 bilhão em receita nos últimos três meses.

A alta taxa de hash e a dificuldade de mineração do Bitcoin estão alinhadas com o aumento do preço desde o início deste ano, o que levou ao aumento da demanda por equipamentos de mineração, que ultrapassou significativamente a oferta. Isso também deve-se em parte à estação chuvosa do verão no sudoeste da China, que resultou em energia hidrelétrica barata e abundante.

Além disso, também tem havido um interesse crescente na região da Sibéria Oriental, na Rússia, onde a usina hidrelétrica Brastsk construída na era da Guerra Fria foi utilizada para alimentar fazendas de mineração que, segundo estimativas, representam quase 10% do poder computacional total da rede do Bitcoin.

Os mineradores na China estimaram no início deste ano que a taxa média de hash do Bitcoin no verão chinês quebraria o nível de 70 EH / s, o que aconteceu em agosto.

Assim, os principais fabricantes de equipamentos de mineração já venderam equipamentos com entrega prevista para o final do ano, com os clientes fazendo pré-pedidos com três meses de antecedência.

Leia também: Relatório da Moody’s expõe possível padronização da blockchain até 2021

Forex Crypto News: Cripto Facil