Quanto rende o Bitcoin?

No vídeo de hoje, Paulo Aragão explica quanto rende o Bitcoin, a criptomoeda dominante do mercado, o Bitc. São 3% ao dia? 10% ao mês? Confira no vídeo!

Se você é uma das pessoas que ouviu falar sobre ou até presenciou casos de pessoas que enriqueceram comprando Bitcoin nos últimos anos, certamente já se perguntou sobre a rentabilidade do Bitcoin.

De fato, a valorização do Bitcoin é bastante expressiva, especialmente quando levamos em conta que o preço do criptoativo esteve abaixo dos US$1.000,00 até 2013, e abaixo dos US$5.000,00 até 2017. Se em 2019 a valorização do Bitcoin já supera os 100%, o longo prazo é ainda mais expressivo: foram quase 2000% de valorização apenas nos últimos 5 anos.

No entanto, a pergunta “quanto rende o Bitcoin?” não é adequada nesse contexto, visto que o criptoativo não “rende”, apenas se valoriza.

Diferenças entre investimentos

Existem diversos tipos de investimentos no mercado financeiro, cada um com as suas particularidades. De renda fixa a variável, de fundos a ações e criptoativos, as opções são diversas.

Da mesma forma, existem investimentos que “rendem” juros. Esses investimentos geralmente possuem uma taxa de rendimento atrelado a si, seja ela fixa ou variável. Um exemplo bastante conhecido é o do Tesouro Selic, investimento em renda fixa que tem a rentabilidade a da taxa de juros brasileira, atualmente em 5% ao ano.

Mesmo em renda variável, alguns investimentos possuem uma rentabilidade atrelada. É o caso de ações e fundos imobiliários, por exemplo. Eles pagam dividendos a cada período de tempo (mensal, trimestral, anual, etc) e esses rendimentos têm um percentual definido. Eles podem ser alterados por fatores externos (aumento ou redução nos lucros, crises, mudanças de estatuto da empresa, etc), mas essa rentabilidade existe e pode ser vista no site das empresas.

No entanto, existem investimentos que não possuem lucro ou fluxo de caixa e, por esse motivo, não são capazes de distribuir uma rentabilidade ao seu detentor. O ouro e o Bitcoin são dois exemplos disso. A única “rentabilidade” deles é aquela obtida com a diferença entre o preço de compra e o preço de venda, mas para ter esse rendimento você precisa vender o ativo. Não há como mantê-lo consigo e obter uma rentabilidade.

Portanto, não há como responder à pergunta “quanto rende o Bitcoin?” pois ele não entrega rentabilidade. A única forma de saber o lucro ou prejuízo que você teve é comparando o preço de compra com o preço de venda do criptoativo. Ele não entrega uma rentabilidade passiva, seja ela fixa ou variável.

Golpe da “rentabilidade garantida”

Isto posto, é preciso ficar muito atento a pessoas ou empresas que oferecem propostas de “investimento” que entreguem rentabilidade sobre Bitcoin ou outro criptoativo, especialmente quando esta é precedida por duas palavras: rentabilidade garantida.

Propostas de rentabilidade garantida geralmente são oferecidas por empresas que realizam golpes, como esquemas de pirâmide, promessas de “arbitragem com criptomoedas” e outros modelos parecidos. Elas pedem que você entregue seus criptoativos para custódia a essas empresas e, para estimular a entrada no esquema, oferecem rendimentos muito acima dos praticados no mercado (“invista em Bitcoin e ganhe 4% ao dia” é uma propaganda comum nesse mercado).

Essas empresas não são sustentáveis no longo prazo, pois não operam com capacidade suficiente para manter esses rendimentos. Na maioria das vezes, elas somem com o dinheiro, ou impõem severas limitações aos saques, causando perdas severas entre os investidores.

Portanto, fique sempre atento. Caso alguém prometa “rentabilidade com Bitcoin”, não se esqueça: Bitcoin é um ativo que se valoriza, mas não rende. Guardar seus bitcoins consigo e esperar a valorização natural é a melhor estratégia. Não lhe deixará rico rapidamente, mas lhe fará ganhar dinheiro sem pressa e de maneira segura.

Veja também: 3 erros que aprendemos após a compra de criptomoedas

Forex Crypto News: Cripto Facil