Quais as vantagens do Bitcoin em frente à alta do dólar?

Nesta terça-feira, 24 de setembro, o Dólar voltou a atingir patamares elevados no Brasil. O adiamento da votação da reforma da previdência no Senado pode ter sido responsável pela cotação da moeda oscilar bastante durante o dia. No final, a moeda ficou praticamente estável, caindo 0,03% e fechando a R$4,169.

Nos últimos 30 dias, a moeda norte-americana apresentou uma valorização de cerca de 2,5% em relação ao Real. Além disso, o patamar dos R$4,00 parece ter vindo para ficar, especialmente com o ritmo mais lento das reformas do governo.

Mudanças de planos

Ao contrário do que muitos economistas afirmam, uma moeda fraca não traz benefícios para a população. Pelo contrário: além do Real estar perdendo um dos seus pilares como moeda (reserva de valor), o Dólar mais caro distorce parte da economia e força a mudanças de planos.

Uma das áreas que sente este peso é o turismo. O Dólar alto muitas vezes prejudica quem pretende viajar para o exterior, especialmente para os Estados Unidos. Foi o caso da advogada Rosana Matos, que não conseguiu obter dólares para sua viagem devido ao alto preço da moeda.

“A gente esperou, para ver se haveria alguma baixa com o avanço na reforma da Previdência. Estamos esperando que ainda aconteça alguma coisa”, explicou a advogada em entrevista ao portal Infomoney.

Mas os efeitos do Dólar mais caro não se restringem ao turismo. Os gastos domésticos das famílias também são afetados. Com o Real mais fraco e uma taxa Selic em queda, o brasileiro médio passa a deter uma moeda cada vez mais fraca e com poucas possibilidades de manter seu poder de compra, visto que as taxas de juros estão mais baixas do que nunca.

Uma das alternativas seria procurar investimentos no exterior, que pagam juros e rendimentos em Dólar, porém, trata-se de uma opção pouco acessível para a maioria das pessoas, que mal conseguem poupar dinheiro em Reais. Felizmente, existe uma solução barata e de fácil acesso para se expor ao Dólar no Brasil: o Bitcoin.

Criptomoedas com Dólar em queda

Além de ações e ETFs negociados em bolsa, o Bitcoin é outra forma de ter uma exposição ao Dólar. Por seu caráter descentralizado e de aceitação mundial, ele é um ativo eficiente para ter acesso a praticamente qualquer moeda forte no mundo.

Por exemplo, uma pessoa pode utilizar Bitcoin para guardar dinheiro para uma viagem ao exterior. Após juntar o montante necessário para a viagem, basta utilizar um serviço de conversão (como uma exchange internacional) ou simplesmente usar os bitcoins para recarregar um cartão de débito internacional, convertendo-os em dólares.

Dessa forma, é possível se expor ao Dólar sem necessidade de fazer compras mensais em uma casa de câmbio tradicional. Isso proporciona redução de custos, visto que as cotações das exchanges costumam ser muito mais atrativas. Além disso, a compra de bitcoins e recarga de cartões de débito são isentas de taxas e impostos como o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF).

Outro uso eficaz do Bitcoin é como reserva de valor. Mesmo com sua alta volatilidade, o Bitcoin possui um grande histórico de alta tanto em Dólar quanto em Real, o que faz dele uma excelente opção de reserva de valor para o médio e longo prazo. Na Venezuela, o uso do Bitcoin como reserva de valor impediu muitas pessoas de morrerem de fome durante a crise que assola o país.

Portanto, aproveite a recente queda no preço do Bitcoin e use-o para investir ou programar sua próxima viagem.

Leia também: Restrição de compra de dólares na Argentina pode impulsionar uso do Bitcoin

Forex Crypto News: Cripto Facil