Pesquisador do Ethereum preso nos EUA aguardará julgamento em liberdade

Conforme relatado pelo CriptoFácil nesta segunda-feira, 02 de dezembro, o pesquisador do Ethereum Virgil Griffith foi preso nos Estados Unidos por ajudar a Coreia do Norte a evitar as sanções norte-americanas. Ainda na segunda-feira, um juiz decidiu que o Departamento de Justiça do país (DoJ, na sigla em inglês) tem provas suficientes para mover um caso contra Griffith, que aguardará o julgamento em liberdade.

Griffith, que foi preso em Los Angeles no Dia de Ação de Graças sob acusações de conspiração para ajudar a República Popular Democrática da Coreia (RPDC) a aprender mais sobre criptomoedas para evitar sanções impostas pelo governo dos EUA, teve uma audiência preliminar nesta segunda-feira para determinar se o DoJ tinha provas suficientes para estabelecer causa provável.

O Ministério Público dos EUA no Distrito Sul de Nova York disse na última sexta-feira, 29 de novembro, que o pesquisador foi acusado de “violar a Lei Internacional de Poderes Econômicos de Emergência (IEEPA) ao viajar para a República Popular Democrática da Coréia (RPDC ou Coréia do Norte) para fazer uma apresentação e dar conselhos técnicos sobre o uso das tecnologias de criptomoedas e blockchain para evitar sanções”.

Entenda o caso

De acordo com a denúncia, Griffith pediu – e foi negada – permissão para viajar para a Coreia do Norte para fazer uma apresentação intitulada “Blockchain and Peace”. Além disso, segundo a denúncia, Griffith “posteriormente começou a formular planos para facilitar o intercâmbio de criptomoedas entre a Coreia do Norte e a Coreia do Sul”, apesar de saber que isso violaria as sanções dos EUA contra o Norte.

No entanto, Griffith se defende afirmando que sua apresentação continha apenas informações básicas que podem ser acessadas online.

Após a audiência da segunda-feira, Brian Klein, advogado da Baker Marquart que representa Griffith, disse em comunicado que o desenvolvedor será libertado da prisão após a publicação da fiança.

“Estamos muito satisfeitos com o fato de hoje o juiz ter descoberto que Virgil deveria ser libertado da prisão enquanto aguarda julgamento. Contestamos as alegações não testadas na denúncia criminal. Virgil aguarda ansiosamente seu dia no tribunal, quando a história completa pode ser divulgada”, afirmou Klein.

Klein representou vários indivíduos de destaque nos mundos das criptomoedas e da cibersegurança, incluindo o empresário Charlie Shrem e o pesquisador de segurança Marcus Hutchins.

Klein negociou um acordo contra Cameron e Tyler Winklevoss, que processaram Shrem em novembro de 2018, alegando que Shrem lhes devia US$26 milhões em Bitcoin. Hutchins, que foi acusado de criar o malware Kronos pelas autoridades dos EUA, se declarou culpado e foi condenado a um ano de libertação supervisionada, mas o juiz recomendou que lhe fosse concedido o perdão de sua pena.

Leia também: Autoridades dos EUA prendem pesquisador da Ethereum por ajudar a Coreia do Norte a evitar sanções

Forex Crypto News: Cripto Facil