Novo desenvolvimento da Monero pode aumentar seu anonimato

Recentemente, a Monero Research Lab (MRL) publicou sobre seu novo desenvolvimento, chamado Triptych. Trata-se de uma proposta de um anel de assinaturas sem necessidade de confiança, com planos de tornar-se o principal mecanismo de anonimato da rede Monero. De acordo com a Cointelegraph, uma diminuição no anel de assinaturas pode aumentar a privacidade da criptomoeda significativamente.

Mais anonimato

Monero é uma criptomoeda focada em privacidade que utiliza diversos mecanismos para ofuscar partes da transação. A linha primária de defesa contra rastreamento de transações vem de assinaturas em anel. Elas funcionam agregando as criptomoedas reais do remetente com diversas distrações, selecionadas de forma semi-aleatória de outros pontos na blockchain. Atualmente, existem 24 distrações por padrão em qualquer transação, embora um usuário possa escolher incluir mais ou menos — impactando diretamente no custo da transação.

A principal inovação do Triptych é o tamanho em bytes das assinaturas em escala logarítmica com o número de distrações, em vez de ser linear. Isso permite um aumento dramático do tamanho do anel de assinaturas se grandes problemas de performance. Apesar de ser uma grande inovação, os períodos de verificação permanecem lineares, tendo em vista que aumentar demais pode sobrecarregar os nós na verificação de transações.

Em uma publicação do Reddit, um dos membros da MRL teorizou que o tempo de verificação passaria a ser de 45 milissegundos em uma transação de Monero com 511 distrações. Trata-se de um grande avanço perante soluções concorrentes, que levam 100 milissegundos em média para uma transação com 128 disfarces.

De qualquer forma, o Triptych é uma proposta que ainda precisa passar pela análise da comunidade. O membro do MRL afirmou:

“Eu não posso especular sobre a probabilidade dos projetos implementados sobre o Triptych, tendo em vista que ainda está no início e ainda não passou por uma análise formal.”

O integrante da MRL ainda falou sobre uma versão ainda melhor do Triptych, que “permitiria assinar com diversas chaves a mesma prova, enquanto ao mesmo tempo é incluído diretamente um balanço de teste, levando a transações ainda menores”. Porém, essa nova iteração precisa de mais pesquisa por conta dos obstáculos técnicos.

Trabalhando para aumentar ainda mais o anonimato

O tamanho diminuto dos anéis de assinatura da rede Monero tem sido alvo de criticismo pela comunidade de criptomoedas, começando por um documento de 2017 que fala sobre a possibilidade de retirar completamente o anonimato das transações. A prática de um usuário enviar transações para si mesmo é recomendada na comunidade da Monero, a fim de aumentar a privacidade.

Pesquisas nessa área levaram a soluções como Lelantus, Omniring e RingCT 3.0. Embora o integrante da MRL tenha salientado todas essas opções, bem como seus prós e contras, ele enfatizou a importância do Triptych:

“Ser capaz de aumentar o tamanho do anonimato no envio é um grande passo na direção correta.”

Leia também: Empresas brasileiras são atacadas 733 vezes por semana com vírus que minera Monero

Forex Crypto News: Cripto Facil