HSBC substitui registros em papel por blockchain para rastrear US$ 20 bilhões em ativos

Até março de 2020, o banco global britânico HSBC migrará seus US$20 bilhões em ativos para a plataforma de custódia baseada em blockchain Digital Vault. Trata-se de uma das maiores implementações da tecnologia já realizadas até hoje, de acordo com a Agência Reuters, que reportou o fato nesta quarta-feira, 27 de novembro. 

De acordo com as informações dadas pelo HSBC à Reuters, a Digital Vault será responsável por fornecer acesso em tempo real aos investidores do banco para que possam acompanhar os registros de títulos comercializados no mercado privado. 

Todos os registros em papel de colocações privadas serão digitalizados e, por meio da tecnologia blockchain, o tempo para verificação e consultas das informações por parte dos investidores será reduzido significativamente. 

Esses registros geralmente são mantidos no papel e não possuem nenhum tipo de padronização, o que torna o acesso mais demorado e complicado. Atualmente, o HSBC gerencia cerca de US$50 bilhões em ativos.

Aplicação prática da blockchain

Recentemente, houve um crescimento importante no que diz respeito ao investimento em blockchain por parte de grandes companhias. Agora, o desafio é implementar a tecnologia de forma prática. Até o momento, o HSBC ainda não conseguiu contabilizar a economia que o banco ou seus clientes poderão ter com a adoção da rede.

Para o consultor independente que rastreia blockchain e criptomoedas Windsor Holder, grandes economias são improváveis nos estágios iniciais de projetos como este: 

“Eu não esperaria ver grandes economias ou grandes eficiências anunciadas no primeiro ano há 18 meses”, ponderou Holder.

Leia também: HSBC é o primeiro banco a concluir uma transação de financiamento na blockchain we.trade

Forex Crypto News: Cripto Facil