Engajamento do ecossistema de Bitcoin no Twitter cai para mínima de dois anos

Ame ou odeie, o Twitter é parte integrante do ecossistema de Bitcoin e criptoativos. O sentimento é frequentemente medido pela reação dos analistas de mercado e especialistas do setor que passam seu tempo na plataforma de mídia social. Gráficos recentes indicam que o engajamento geral da comunidade de criptoativos no Twitter caiu de volta a níveis mais baixos, não vistos nos últimos dois anos.

A ironia é que muito do que acontece no ecossistema de criptoativos gira em torno de postagens em uma plataforma de mídia social centralizada, no caso o próprio Twitter. Porém, o ponto principal é que todos querem a mesma coisa: o crescimento do ecossistema de Bitcoin e criptoativos para um futuro financeiro descentralizado.

De acordo com o usuário “skew”, conforme reportado pelo site News BTC, o engajamento no Twitter em relação ao Bitcoin caiu para um nível não visto há dois anos.

Pode não ser o caso de outros criptoativos, mas o Bitcoin pelo menos parece ter perdido a euforia que causava antes na plataforma de mídia social. O pico de engajamento acompanhou o preço no início de 2018, quando os tuítes diários relacionados ao BTC superaram os 150 mil. Atualmente, eles estão abaixo do nível de 20 mil, de acordo com o gráfico.

Pode ser que o ecossistema tenha evoluído para além do Twitter, o que seria uma coisa boa, uma vez que toda a cena parece representar um pouco “de encenação”, e qualquer pessoa que usa a plataforma concordaria. A publicidade intrusiva e as tentativas irrestritas de spam e fraude são comuns, o que não o torna a melhor ferramenta para um setor que defende a adoção de ativos digitais descentralizados.

Assim como o Facebook, o Twitter controla o que as pessoas vêem em seus feeds e todo o fluxo de informações está tornando-se mais irrelevante, o que poderia explicar a falta de engajamento. “Influenciadores”, como são chamados, geralmente estão interessados ​​apenas em promover seu criptoativo escolhido, seja Bitcoin, Bitcoin Cash, Ethereum, Ripple ou qualquer outra coisa.

Dito isto, existem alguns analistas profissionais e especialistas do setor que vale a pena seguir, se você tiver a consciência de separar o trigo da enorme pilha de palha do Twitter.

Com o Bitcoin caindo para menos de US$8.000, praticamente a comunidade inteira da criptomoeda no Twitter voltou a sinalizar para possíveis novas baixas, de US$5 mil ou menos.

Também há muito FUD sobre a capitulação de mineradores à medida em que o halving (evento que reduzirá a recompensa da mineração pela metade) se aproxima e a possibilidade da primeira tendência de baixa até o evento. Um dos analistas e pesquisadores mais respeitados do Twitter, o “PlanB”, observou que isso também já havia acontecido antes.

“O fato é que, seis meses antes do halving de 2012, estávamos acima do valor do modelo de dificuldade, em 2016 abaixo, e agora estamos onde devemos estar.”

Pode ser que o engajamento no Twitter seja um sinal indicativo de queda no sentimento do mercado, mas quando os níveis de tuítes relacionados ao Bitcoin eram tão baixos em janeiro de 2017, o BTC custava menos de US$1.000 e hoje, o cenário é muito diferente.

Leia também: Halvings passados apontam para uma possível valorização do Bitcoin em novembro

Forex Crypto News: Cripto Facil