Empresa fundada por brasileiros Transfero busca arrecadar US$100 milhões

A Transfero Swiss, cujos fundadores são brasileiros, declarou que a companhia busca se posicionar como gestora de criptoativos e anunciou a captação de recursos para três recém-lançados fundos de investimentos multimercado focados em criptomoedas: Advanced, Counter Cyclical e Conservative. Segundo a empresa, os fundos de investimento multimercado (hedge funds) buscam levantar US$100 milhões.

“Em um futuro próximo, a tendência é que as gestoras de criptoativos passem a responder como gestoras tradicionais de ativos. E estamos indo em direção a isso junto com os players mais respeitados do mercado”, declarou o líder de investimentos da Transfero Carlos Franco Russo.

Ainda de acordo com a empresa, gestoras de criptoativos estão migrando de um ambiente “cripto” para um ambiente regulado para atender diferentes tipos de fundo que desejam exposição ao Bitcoin mas estão limitados por conta de aspectos regulatórios. No caso do Brasil, a empresa escolheu as Bahamas para sediar seus hedge funds que também serão comercializados para brasileiros.

Segundo a Transfero, os criptoativos a serem captados pelos três hedge funds são geridos e custodiados pela Transfero Swiss, enquanto o administrador dos fundos é a Leno e o auditor a HLB Galanis.

“Desta forma, atendemos investidores pessoa física de alta renda e patrimônio e investidores pessoa jurídica, como outros fundos e family offices. Num segundo momento, contudo, a ideia é criar feeder funds, conhecidos no Brasil como fundo de fundos. Dentro dessa estratégia, está previsto o lançamento em 2020 de fundos que invistam em cotas desses três fundos”, declarou a empresa em um comunicado à imprensa.

A empresa afirma ainda que os hedge funds de criptoativos terão 2% de taxa de administração e 20% de taxa de performance sobre os diferentes benchmarks estabelecidos para cada um.

Leia também: Startup de brasileiro baseada na Suíça lança stablecoin lastreada no Real

Forex Crypto News: Cripto Facil