Denunciada pela Record, Midas Trend oferece saque no token sem valor da empresa

Denunciada pela Record, Midas Trend oferece saque no token sem valor da empresa

A Midas Trend é uma empresa que prometia rendimentos por meio de supostas operações com criptomoedas. Recentemente, a empresa foi denunciada em uma reportagem da Record.

Na segunda-feira (24), um dia após a reportagem que mostrou as vítimas lesadas, Deivanir Santos apresentou uma nova proposta de saque.

Contudo, a proposta do dono da Midas Trend não é o que os clientes esperavam. Assim como a Genbit, os clientes só poderão sacar no Token Dominus Money (TDM).

TDM não tem valor

Em uma transmissão feita no Instagram, Santos propôs mudanças nos saques da Midas Trend.

Aqueles que optaram por continuar na empresa, usando os serviços do suposto robô de arbitragem, poderão sacar os rendimentos todos os dias.

Anteriormente, os rendimentos só poderiam ser sacados apenas a cada 30 dias. Entretanto, há um problema.

Vestido de roupas caras e ostentando muito ouro, como de costume, Santos explica que os saques só poderão ser feitos no token TDM.

TDM é o token da nova plataforma da Midas Trend, supostamente lastreada por cotas do mercado imobiliário.

Santos afirma que cada token possui o valor de US$ 5, e que ele pode valorizar após sua comercialização.

Todavia, a história conta algo diferente. A Genbit, após também lesar diversos clientes, desenvolveu o TreepToken – que acabou virando TreepGlobal.

Apesar das promessas, assim como Deivanir Santos tem feito, o token não possui valor. Rocelo Lopes, CEO da StratumX, até mesmo tem tentado ajudar os detentores do token.

Por fim, o dono da Midas Trend afirma que os tokens TDM poderão ser trocados por Bitcoin, embora não tenha informado em qual proporção.

Enquanto isso, clientes da empresa seguem sem receber.

Devanney Santos critica reportagem

A reportagem feita pela Record, que mostrou em rede nacional os clientes da Midas, não foi suficiente para amedrontar os donos da empresa.

Além da oferta feita por Deivanir, seu irmão Devanney criticou a reportagem.

Após chamar a reportagem de “tremenda improcrizia”, Devanney passou a criticar Edir Macedo e a Igreja Universal do Reino de Deus (IURD).

Macedo é dono da emissora Record e, segundo Devanney, “toma dinheiro das pessoas através de dízimo e charlatonismo”.

Durante todo o vídeo que faz criticando a reportagem, Devanney se limita a atacar a emissora e divulgar novamente seu plano de “coach financeiro”.

Devanney cobra R$ 80 mil por 6 sessões, nas quais ele afirma “planejar a forma de consumo das pessoas”.

Leia também: Ex-bailarina do Faustão caiu em suposta pirâmide de criptomoedas

Leia também: Sociedade poderá opinar sobre obrigatoriedade em informar transações com Bitcoin à Receita Federal

Leia também: Chefe de segurança da Uber pagou R$ 500 mil em Bitcoin para encobrir hack, descobriu o FBI

Forex Crypto News: Cripto Facil