Criptomoeda de Kim Dotcom será comercializada na Bitfinex

Em 2017, o ativista criador do famoso site Megaupload Kim Dotcom anunciou a Bitcache, plataforma que remunera produtores de conteúdo em criptomoedas. Dois anos depois, ele se prepara para lançar uma oferta de tokens em uma das maiores exchanges do mundo.

Em seu blog oficial, a exchange Bitfinex começou a anunciar a IEO (Oferta Inicial de Exchange) do token K.im, cuja venda terá início em pouco mais de uma semana.

De acordo com a plataforma, o token será o combustível para uma rede onde produtores de conteúdo poderão divulgar, vender e consumir produtos de outros produtores, tudo de forma descentralizada e segura.

“K.im pretende ser a melhor plataforma de publicação e monetização de conteúdo. A K.im permitirá que os usuários publiquem, vendam e consumam conteúdo digital com um mercado seguro, descentralizado e P2P O lendário empresário da Internet Kim Dotcom é o fundador e evangelista-chefe do projeto”, afirma a Bitfinex.

Um dos principais alvos da plataforma são artistas que buscam maneiras mais eficientes e livres de distribuir suas obras. O token K.im tem como objetivo competir com plataformas centralizadas, como o YouTube, que possuem limitações como formas de monetização pouco claras e acusações de censura a diversos produtores.

“Os modelos de negócios existentes são severamente falhos. Blockchain e ativos digitais oferecem uma maneira melhor de monetizar e distribuir conteúdo digital. K.im pretende ser uma inovação dos modelos atuais de publicação de conteúdo, fornecendo um ecossistema descentralizado sem censura e intermediários”, afirma a propaganda do token.

O preço inicial do K.im foi estabelecido em US$0,04 por unidade. Cada investidor terá um limite de aplicação de US$50 mil, enquanto o objetivo inicial da venda é arrecadar US$8 milhões.

Histórico

Kim Dotcom ganhou fama após lançar o já mencionado Megaupload, que foi um dos maiores sites de downloads de arquivos do mundo entre 2005 e 2012, período no qual esteve em funcionamento. O Megaupload acabou fechado em janeiro 2012 por meio de uma operação que acusou o site de violação de direitos autorais e lavagem de dinheiro.

Na ocasião, o fechamento do site ocorreu no dia seguinte à uma série de protestos de grandes sites contra o projeto de lei norte-americano Stop Online Piracy Act (SOPA), que permitiria ao governo dos EUA de bloquear o acesso dos visitantes a determinados websites que, segundo o órgão, prejudicam a criatividade econômica ou incentivam o roubo de propriedade intelectual.

Embora os motivos parecessem razoáveis, na prática, a lei dava poder ao governo dos EUA para censurar quaisquer plataformas de maneira arbitrária sob a acusação. O Megaupload e seu fundador protestaram contra a lei e acabaram alvos do governo, assim como o site The Pirate Bay, que foi temporariamente fechado.

Leia também: Malware escondido em filme no site de downloads The Pirate Bay rouba endereços de Bitcoin

Forex Crypto News: Cripto Facil