Conselho tutelar de São Paulo debate uso de blockchain na proteção de crianças e adolescentes

O Conselho Tutelar de São Paulo, em parceira com a Fapesp, anunciou a realização de um curso que debaterá como a tecnologia blockchain pode ser aplicada na proteção dos direitos da criança e do adolescente. Para isso, realizará, na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, o curso “Teoria e prática da defesa da ciência e da inovação: blockchain e segurança dos direitos das crianças e dos adolescentes”.

O curso terá participação do professor Marcos Antonio Simplicio Junior, da USP, de Percival Lucen,a da IBM Research Brasil, de Alexandre Melo Braga da Unicamp e de Jose Ricardo de Oliveira Damico da Compplied. O curso acontecerá nesta segunda-feira, 04 de novembro, no Auditório Francisco Montoro, na Assembleia.

“Criado em 2008 para dar suporte ao comércio de criptomoedas, a blockchain hoje é usada em várias aplicações. Transações e operações na produção e distribuição de produtos agrícolas e na indústria de alimentos, por exemplo, já são registradas digitalmente. A blockchain permite conhecer a ordem dos eventos e dá validade às transações. Rastreabilidade, segurança e imutabilidade dos dados são aspectos centrais dessa ferramenta, cujo funcionamento ainda é pouco conhecido”, diz a apresentação.

O evento faz parte do Ciclo ILP-FAPESP de Ciência e Inovação, que é uma parceria para a realização de eventos de divulgação científica dirigidos a sociedade, legisladores, gestores públicos e outras pessoas interessadas nos temas abordados.

Leia também: Unicef pode usar recursos de fundo de criptomoedas para levar Internet a escolas públicas

Forex Crypto News: Cripto Facil