Confira os 5 criptoativos do top 10 com as melhores performances em julho

Confira os 5 criptoativos do top 10 com as melhores performances em julho

Em julho, o Bitcoin finalmente rompeu sua lateralização que durou cerca de dois meses.

Com o rompimento, não só o BTC valorizou, como diversos outros criptoativos. Surpreendentemente, o Bitcoin foi a criptomoeda do top 10 que menos valorizou.

Confira abaixo os cinco criptoativos com maiores avanços do mês de julho.

5 – Cardano (ADA)

Em julho, a Cardano passou pelo seu hard fork. O upgrade Shelley dará mais descentralização para a rede, segundo a equipe por trás do projeto.

Tal desenvolvimento rendeu à ADA uma valorização de 44,6% no sétimo mês do ano. Em outras palavras, a criptomoeda saiu de US$ 0,095 para US$ 0,138798.

O valor de mercado, de US$ 2,4 bilhões, saltou para quase US$ 3,6 bilhões – ao todo, mais de R$ 18 bilhões.

Apesar de alguns picos, o volume de troca se manteve na média entre US$ 180 milhões e US$ 500 milhões.

Gráfico com as variações de preço da ADA em julho
Gráfico com as variações de preço da ADA em julho. Fonte: WorldCoinIndex

4 – XRP

Apesar das vendas massivas de XRP feitas pelo cofundador da Ripple, o token da empresa apresentou grande valorização em julho.

O XRP saltou 46,2% durante o referido mês, saindo de US$ 0,176976 para US$ 0,258904. O valor de mercado do token, que sequer chegava a US$ 8 bilhões, finalizou o mês em US$ 11,6 bilhões.

O volume de negociação se manteve na média entre US$ 850 milhões e US$ 1 bilhão.

Gráfico com as variações de preço do XRP em julho.
Gráfico com as variações de preço do XRP em julho. Fonte: WorldCoinIndex

3 – Bitcoin SV (BSV)

A controversa criptomoeda surgida de um “hard fork de um hard fork” do Bitcoin também apresentou um avanço significativo.

O Bitcoin SV cresceu 46,3% em julho, saindo de US$ 157,10 para US$ 229,84.

O valor de mercado do BSV saiu de US$ 2,8 bilhões para US$ 4,2 bilhões, mais de R$ 21 bilhões.

Apesar de alguns picos registrados, o volume de troca ficou na média entre US$ 1 bilhão e US$ 1,5 bilhão.

Gráfico com as variações de preço do BSV em julho.
Gráfico com as variações de preço do BSV em julho. Fonte: WorldCoinIndex

2 – Ethereum (ETH)

A maior altcoin em valor de mercado também teve uma expressiva valorização em julho.

Ao todo, os ganhos do Ethereum foram de 49,5%, deixando os US$ 231,11 para chegar em US$ 345,55.

Dois fortes fatores apontados como causas para a alta são a popularização das finanças descentralizadas, ou DeFi, e a possível proximidade com o ETH 2.0

O resultado foi o valor de mercado de US$ 25,7 bilhões passando a ser de US$ 38,6 bilhões.

O volume de troca se manteve entre US$ 5 bilhões e US$ 7 bilhões, embora na última semana do mês não tenha ficado abaixo de US$ 10 bilhões.

Gráfico com as variações de preço do ETH em julho
Gráfico com as variações de preço do ETH em julho. Fonte: WorldCoinIndex

1 – Chainlink (LINK)

A Chainlink foi a criptomoeda com a maior valorização dentre as 10 maiores do mercado.

Após um grande pump, a LINK saiu de US$ 4,70 e terminou julho cotada a US$ 7,77. Trata-se de uma valorização de 65,3%.

O US$ 1,6 bilhão em valor de mercado se tornou US$ US$ 2,7 bilhões.

O volume de troca oscilou, variando entre US$ 500 milhões e US$ 700 milhões em um momento, e entre US$ 700 milhões e US$ 1,1 bilhão em outro período.

Gráfico com as variações de preço do LINK em julho. Fonte: WorldCoinIndex

Leia também: Bitcoin rompe os US$ 11.500 e pode saltar para US$ 17.000, afirmam analistas

Leia também: Relatório reúne maiores plataformas de DeFi por nível de desenvolvimento

Leia também: Análise do Bitcoin: Hora de comprar Bitcoin?

Forex Crypto News: Cripto Facil