Bitfinex e Tether sofrem novas acusações de manipulação de mercado

A exchange de criptomoedas Bitfinex e a Tether Limited, emissora da stablecoin USDT, foram novamente acusadas de manipular o mercado de Bitcoin.

De acordo com a Coindesk, um novo processo coletivo foi apresentado por Eric Young e Adam Kurtz no tribunal do distrito oeste de Washington em 22 de novembro. O novo processo tem como base os detalhes que surgiram no caso apresentado pela procuradora-geral de Nova York em abril, que também atingiu as empresas.

Entenda o caso

Em uma longa lista de reivindicações, Young e Kurtz alegam especificamente que a Bitfinex e a Tether “monopolizaram e conspiraram para manipular o mercado de Bitcoin”, além de manipular informações e fazer declarações imprecisas.

Além disso, “a má conduta dos réus fez com que os preços dos futuros de Bitcoin e os preços do itcoin subjacentes aos contratos Futuros fossem artificiais manipulados durante o período de cobertura da ação [1º de outubro de 2014 até o momento]”, afirmam Young e Kurtz, acrescentando:

“O controle, por parte dos réus, das emissões de dólares norte-americanos e da Bitfinex permitiu que os réus e seus co-conspiradores coordenassem as compras e as vendas com o aumento e queda dos preços do bitcoin. Quando os preços do bitcoin estavam caindo, os réus e seus co-conspiradores imprimiam USDTs e aumentaram artificialmente o preço do bitcoin. Depois que os réus e seus co-conspiradores aumentaram artificialmente o preço do bitcoin, eles converteram os bitcoins novamente em USDTs para reabastecer as reservas do Tether.”

Esta é a segunda grande ação movida contras as empresas em 2019. O mencionado caso de Nova York ainda está em andamento, esperando a apelação sobre se os réus devem ou não ser obrigados continuar produzindo documentação. A procuradora Letitia James alega, entre outras coisas, que a stablecoin USDT não é 100% lastreada em dólares americanos.

Ambos processos também citam um estudo de autoria de professores da Universidade do Texas em Austin, alegando que uma única conta na Bitfinex usou USDT para manipular o preço do Bitcoin antes do criptoativo atingir sua máxima histórica em torno de US$20.000 em dezembro de 2017.

Prejudicados pela manipulação

O caso foi levado ao tribunal federal do estado de Washington. Young e Kurtz, que moram na Pensilvânia e em Nova York, respectivamente, alegam que são traders de Bitcoin que negociaram a preços artificiais devido às supostas ações dos réus.

“Em todos os momentos relevantes, os réus, incluindo os funcionários que conduziram os negócios dos Réus por meio de atos ilegais, fizeram conscientemente e intencionalmente declarações falsas aos investidores do Bitcoin dos EUA e ao público com o objetivo de ocultar o esquema dos Réus”, afirma o processo, alegando ainda que os réus lucraram às custas dos demandantes.

Em uma publicação feita no seu blog oficial em 24 de novembro, a Bitfinex chamou o caso de Washington de “mercenário e infundado” e sugerir que tais ações “são uma afronta contínua aos esforços e dedicação dos clientes da Bitfinex e de todos os participantes do ecossistema de criptomoedas”.

Leia também: Juiz adia decisão sobre caso da procuradoria de Nova York contra Bitfinex e Tether

Forex Crypto News: Cripto Facil