Bitcoin sofre queda de 5% e fica abaixo dos US$ 6.000

Bitcoin sofre queda de 5% e fica abaixo dos US$ 6.000

Bitcoin iniciou a segunda-feira, 23 de março, cotado abaixo dos US$ 6.000. A madrugada foi tomada por cotações entre as zonas de US$ 5.900 e US$ 5.700, mas sem propelir o criptoativo dominante do mercado para a zona dos US$ 6.000. Como já é comum para os entusiastas das criptomoedas, o mercado de moedas digitais como um todo acompanhou a performance do BTC e declinou com o criptoativo.

De acordo com dados obtidos pela ferramenta Coinmarketcap, o BTC sofreu uma queda de 5,18% nas últimas 24 horas contadas da escrita desta matéria, atualmente cotado a US$ 5.864,30. Após iniciar o dia 22 de março cotado acima de US$ 6.000, chegando até mesmo a atingir os US$ 6.359,70 como mais alta marca intradia, o Bitcoin não conseguiu se manter nesta zona. Sua marca intradia mais baixa se deu em US$ 5.823,71. O volume de troca atual do BTC é de US$ 41,1 bilhões.

Conforme dito, os criptoativos seguiram a movimentação do Bitcoin. No top 10, a maior queda foi exibida pela Tezos, que escorregou 9,12%. Binance Coin, Bitcoin Cash e Bitcoin SV (o trio BBB) experienciou perdas de, respectivamente, 7,14%, 6,82% e 6,49%. O restante do grupo apresentou desvalorizações que variaram entre 3,47% e 6,13%.

O top 20 conta com um criptoativo que não declinou, sendo ele o UNUS SED LEO, que valorizou 1,36%. A Chainlink escorregou 9,70%, enquanto Dash, Tron e Cardano perderam, respectivamente, 8,71%, 6,50% e 6% de seus valores. Os outros criptoativos do top 20 escorregaram entre 3,34% e 6%.

Até o fechamento deste artigo, o valor total do mercado de criptoativos era de US$ 164,8 bilhões. A dominância do BTC está em 65%.

Leia também: Bitcoin é um dos produtos mais bem projetados dos tempos modernos, diz Fortune

Forex Crypto News: Cripto Facil