O banco Santander avançou em mais um projeto utilizando a tecnologia blockchain e destacou que foi o primeiro banco a emitir um título usando uma blockchain pública, no caso a do Ethereum. O título no valor de US$20 milhões terá a duração de um ano.

No comunicado, o Santander afirmou que seu uso da tecnologia blockchain para emissão de títulos ponta a ponta representa um primeiro passo em direção a um mercado secundário potencial para tokens de segurança convencionais.

O Santander Securities Services operava como agentes de tokenização e custodiante das chaves criptográficas usadas para a emissão, com o Banco Corporativo e de Investimentos (CIB) do Santander atuando como revendedor. Tanto o dinheiro usado para concluir o investimento quanto os tokens trimestrais foram tokenizados, com o banco observando que o alto grau de automação envolvido reduziu drasticamente o número de intermediários necessários para o processo.

“O Santander está na vanguarda da profunda transformação digital do setor financeiro e essa transação é um exemplo. Queremos tirar proveito de qualquer tecnologia que possa acelerar esse processo, para que nossos clientes prosperem e sejam mais rápidos e eficientes, e o blockchain é uma dessas tecnologias”, disse José García Cantera, diretor financeiro do Santander.

Observando que a transação de títulos em blockchain foi mais rápida, mais eficiente e mais simples que os sistemas legados, o Santander CIB diz que agora envolverá seus clientes para passar a iniciativa do estágio de projeto para o desenvolvimento.