Autora de Harry Potter pergunta sobre Bitcoin: confira as melhores respostas

Autora de Harry Potter pergunta sobre Bitcoin: confira as melhores respostas

E as criptomoedas finalmente alcançaram o mundo mágico de Hogwarts! E não estamos falando da criptomoeda inspirada em Harry Potter, mas sim do Bitcoin, que virou tema de uma discussão bastante curiosa no Twitter.

Na última sexta-feira, 15 de maio, uma das escritoras mais bem-sucedidas da história ganhou destaque na comunidade cripto. Trata-se de ninguém menos que J. K. Rowling, a autora da saga Harry Potter, escreveu um singelo pedido em seu Twitter.

“Eu não entendo Bitcoin. Por favor, expliquem para mim”, pediu Rowling.

Imediatamente, uma chuva de entusiastas se propôs a explicar a autora como a criptomoeda funcionava. Foram milhares de respostas e interações de pessoas que iam de anônimos até nomes conhecidos do mercado.

E, claro, não podemos deixar de destacar a criatividade de muitas das respostas. Com o intuito de iniciar a semana com boas risadas, selecionamos as mais criativas explicações sobre Bitcoin que foram dadas à criadora do Gringotes.

Não confie nos duendes

Na história de Harry Potter, o Gringotes é o banco no qual todos os bruxos depositam suas riquezas. O banco é tido como inexpugnável por causa das defesas mágicas que impede a ação bem-sucedida de ladrões.

“Só um louco tentaria roubar o Gringotes”, afirma Rúbeo Hagrid em Harry Potter e a Pedra Filosofal.

No entanto, por mais seguro que seja, o Gringotes ainda é um terceiro de confiança. Os bruxos precisam confiar nos duendes e suas armadilhas para proteger seu dinheiro. Em contrapartida, quem possui Bitcoin não depende da confiança de ninguém.

E foi justamente isso que a conta não-oficial do Bitcoin no Twitter (@Bitcoin) destacou em sua resposta:

“Bruxos ainda precisam confiar no Banco Gringotes. O Bitcoin conserta isso”, diz a mensagem.

Comensais da Morte na presidência do Fed

Os Comensais da Morte são a principal força militar de Voldemort, o vilão da trama. Entre eles, uma tem destaque particular: Belatriz Lestrange. Uma das mais fiéis seguidoras de Voldemort, Belatriz é cruel e não possui qualquer senso de caráter e bondade.

Adicionalmente, ela possui um cofre no Gringotes que é utilizado por Voldemort para guardar um importante objeto. Esse cofre é protegido por um curioso encantamento: os itens do cofre podem se multiplicar infinitamente sempre que tocados por um ladrão.

Ao contrário dos verdadeiros tesouros guardados lá, as cópias não possuem valor. Servem apenas como um estorvo para sufocar o ladrão e mantê-lo preso.

Itens que se multiplicam infinitamente, cujas cópias não possuem valor, e sufocam… Isso não lembra a ação dos bancos centrais? Afinal, o dinheiro que eles imprimem também é ilimitado e vai perdendo valor a cada dia.

Essa foi a analogia feita pelo usuário Bobby Goodlatte para explicar à Rowling o que é o Bitcoin:

“Bellatriz Lestrange é a presidente do Federal Reserve. Ela põe uma maldição em seu cofre para que os tesouros lá dentro se dupliquem quando Harry Potter os toca. À medida que se duplicam, cada cópia vale cada vez menos. Soa Reddikulus? Bitcoin é o oposto disso”, afirmou.

Ferramenta de inclusão no mundo mágico

Embora seja repleto de magia, o mundo de Harry Potter também possui desigualdades. E elas são representadas pelos elfos domésticos, os servos dos bruxos.

Esses elfos não possuem direitos, não recebem salário para fazer suas atividades, e muitas vezes sequer são tratados como seres humanos. Exceto por Dobby, o elfo amigo de Potter que se rebela contra esse sistema e, depois de libertado, passa a lutar para receber pagamento pelo seu trabalho.

No mundo financeiro, podemos fazer a analogia deles com as mais de 2 bilhões de pessoas que não possuem conta bancária.

Essas pessoas não possuem acesso ao sistema financeiro, pois o mesmo é muito caro e ineficiente para esse tipo de inclusão. Adicionalmente, elas são as pessoas que mais sofrem com políticas monetárias irresponsáveis de governos, como alta inflação. Afinal, não possuem acesso a investimentos que possam proteger seu dinheiro.

O Bitcoin resolve esses dois problemas. Além de ser uma ferramenta acessível para qualquer pessoa, ele permite que você possa ter o controle sobre seu dinheiro e protegê-lo contra inflação e confiscos. E são essas qualidades que o Bitcoin Magazine destacou em sua resposta.

“Imagine que Voldemort não pudesse se infiltrar no ministério da magia, e Harry não pudesse invadir o banco de Gringotes, e os elfos domésticos pudessem interagir com a economia mundial bruxa apenas com uma conexão à Internet.”

Conflito de gerações

É inegável que existe um conflito de gerações quando o assunto é a compreensão sobre o Bitcoin. Enquanto investidores da chamada geração Millennial já investem mais em Bitcoin do que em ações, os mais velhos tendem a ver o criptoativo com desconfiança.

Um exemplo disso é o megainvestidor Warren Buffett (89 anos). Ele não apenas não investe em Bitcoin como já desqualificou-o em várias ocasiões, assim como seu sócio Charlie Munger (96). Ambos chamam o Bitcoin de “veneno de rato”.

Em Harry Potter, também vemos um conflito entre heróis de diferentes gerações. Além do próprio Harry, temos Alvo Dumbledore, diretor da escola de Hogwarts e um dos bruxos mais poderosos da saga. Esse conflito é visto em várias passagens da história.

E quem destacou essa relação entre Bitcoin-Potter e Buffett-Dumbledore foi ninguém menos que Justin Sun, CEO da Tron. Ele afirmou que Dumbledore não entenderia como o Bitcoin funciona, enquanto Potter ficaria fascinado pelo criptoativo:

“Imagine uma moeda mágica (#Bitcoin) que Dumbledore não entende (como @warrenbuffett), mas Harry Potter é fascinado por isso.”

As revelações de Elon Musk

E não foram apenas grandes nomes da comunidade cripto que resolveram auxiliar J. K. Rowling a tirar suas dúvidas sobre Bitcoin. Outro nome de peso que entrou na brincadeira foi simplesmente o multiempreendedor e bilionário Elon Musk, fundador da Tesla e SpaceX.

Em sua resposta, Musk não fez referências à história de Harry Potter, mas falou sobre a solidez do Bitcoin em relação às moedas fiduciárias.

“Praticamente, a emissão massiva de moeda pelos bancos centrais do governo esteja fazendo o dinheiro da Internet (Bitcoin) parecer sólido em comparação”, afirmou Musk.

Entretanto, o mais curioso foi que Musk “revelou” quanto possui de Bitcoin: segundo ele, 0,25 BTC.

Não sabemos se ele estava falando sério ou fazendo uma brincadeira. Mas se for verdade, sua “fortuna” em Bitcoin está longe de ser uma das maiores do mundo.

Redatores entrou na brincadeira

E quem achou que este texto apenas listaria os melhores tweets, errou feio. Afinal, este redator que vos escreve também resolveu entrar na brincadeira.

Na resposta, podemos ver uma referência às Cinco Exceções da Lei de Gamp sobre Transfiguração. No universo de Harry Potter, elas estabelecem restrições para coisas que podem ser criadas do nada via magia. E adivinhe qual é uma das exceções?

Exato, “o Ouro e os Elementos Preciosos”. Em resumo, dinheiro

Ao contrário dos “trouxas” (especialmente os presidentes de bancos centrais), bruxos não podem criar, copiar ou conjurar dinheiro do nada. Podem ser transformados, mas não podem ser duplicados, nem as suas quantidades aumentadas, tão menos produzidos.

E foi esta a resposta que demos na nossa tentativa de explicar a natureza do Bitcoin.

“JK, lembre-se das 5 Exceções da Lei de Gamp sobre transfiguração mágica. O dinheiro não pode ser criado de nada no mundo dos bruxos, certo? O mesmo acontece com o Bitcoin. É o tipo de dinheiro mais sólido e confiável do mundo”.

E qual a opinião da autora?

Ok, já nos divertimos com as respostas criativas e até demos nosso tostão de explicação. Mas será que a J. K. Rowling entendeu e vai se tornar a mais nova bilionária a investir em Bitcoin?

Infelizmente, em uma de suas mensagens ela deixou transparecer que não achou as explicações tão claras.

“As pessoas agora estão me explicando o Bitcoin e, honestamente, são colecionáveis blá blá blá (My Little Pony?) Computadores blá blá blá (tenho um desses) blá blá blá blá blá blá blá (soa assustador) blá blá blá blá, entenda os riscos (eu, no entanto, não entendo.)”

Ainda assim, a divertida discussão foi mais um exemplo do efeito de rede que está surgindo no Bitcoin, à medida que mais pessoas famosas vão tomando conhecimento do criptoativos. Talvez, em um futuro distante, os satoshis substituam os galeões, sicles e nuques nas próximas aventuras de Harry Potter.

Leia também: Autor de “Pai Rico, Pai Pobre” afirma que Bitcoin passará dos R$ 400.000 em 3 anos

Leia também: 4 Formas de utilizar o Bitcoin

Leia também: Qual o melhor mês para comprar Bitcoin?

Forex Crypto News: Cripto Facil