Aprenda a negociar criptomoedas na exchange descentralizada Bisq

É possível dizer que as exchanges são um “mal necessário” para o ecossistema, na maioria das vezes, descentralizado das criptomoedas. Isto porque, apesar da ideia inicial do movimento das moedas digitais defender a remoção de intermediários, as exchanges centralizadas representam exatamente isso.

Ou seja, em troca de liquidez para os ativos armazenados, uma parte do ideal descentralizador é dado em troca. Quem possui as chaves privadas da sua carteira é a plataforma de troca e ela pode escolher, quando bem entender, segurar seus ativos – você deixa de ser seu próprio banco.

As exchanges descentralizadas possuem uma ideia diferente, mais voltada ao cerne do movimento das criptomoedas. Não há intermediários ou terceiros, uma vez que traders são pareados uns com os outros – vendedores e compradores. Esse processo é feito de forma completamente privada e sem a necessidade de realização de procedimentos como KYC/AML.

Uma vez que o sistema é P2P, não há um ponto único de falha como ocorre nas exchanges centralizadas, acabando com o risco dos seus fundos ficarem presos. Você negocia, mas sem perder a posse direta dos seus ativos.

A Bisq é uma das maiores e mais famosas exchanges descentralizadas do mundo. O problema com as exchanges descentralizadas, contudo, é que elas não são tão simples de usar como seus pares centralizados. Elas demandam algumas configurações que devem ser feitas pelo usuário, o que é motivo suficiente para afugentar investidores – ainda que eles prezem pela liberdade.

Abaixo, explicaremos de forma breve como realizar compra e venda de criptoativos na Bisq.

Baixando o aplicativo

O primeiro passo é baixar o aplicativo da DEX no site oficial da Bisq. Após o procedimento de instalação, o usuário se depara com a seguinte tela:

A tela inicial tem um resumo com as ordens de compra e venda, que podem ser filtradas pela moeda fiduciária utilizada para negociação. Na imagem acima, conforme é exibido no canto superior esquerdo da tela, as ordens exibidas são todas negociadas em dólar americano.

Criando uma conta para negociar criptoativos

Antes que as ofertas possam ser aceitas, é necessário criar uma conta com a forma de pagamento. Para isso, é necessário clicar em “Account” no menu do topo, e o usuário acessará a seguinte tela:

Nessa tela, é possível escolher a forma de pagamento (no campo onde está marcada a opção “Advanced Cash”) e qual moeda fiduciária (ou quais, caso a forma escolhida permita selecionar mais de uma) será utilizada para o pagamento. Preenchidas as informações, como ID da carteira, o botão “salvar nova conta” será habilitado – e agora será possível aceitar ordens de compra e venda.

Compra e venda

As opções marcadas na imagem acima correspondem, respectivamente, a compra e venda de Bitcoin. A tela em exibição é a de compra e, como é possível observar, elas ficam dispostas como um livro de ordens habitual de uma exchange centralizada. As opções de aceitar a oferta estão bloqueadas porque não preenchemos a conta de pagamento para este tutorial – contudo, após o preenchimento, o correto é que todas as ordens fiquem habilitadas.

Importante ressaltar que, prezando pela segurança dos usuários da plataforma é necessário ter uma quantia de “seguro” em sua carteira Bisq – sendo ela 0,011 BTC. Para enviar o saldo em Bitcoin até a Bisq, basta seguir o procedimento normal de uma exchange centralizada: abrindo a aba “Funds” no menu superior, basta copiar o endereço da carteira e enviar o saldo a ela.

Aceitando uma oferta

Após aceitar uma oferta, alguns passos ainda precisam ser realizados. Quando ambas as partes se preparam para realizar a troca, uma carteira especial é criada e (no caso de compra) são depositados nela o valor das taxas e o montante utilizado como seguro. No caso do vendedor, são depositados o montante dado como seguro e o saldo em BTC a ser vendido.

Uma vez que todas as partes cumprem as exigências, é hora de finalizar a transação. Ela se divide em alguns outros passos, sendo o primeiro deles a confirmação de transação, que pode ser feita após a exibição dos detalhes.

Confirmada a negociação, é hora de enviar o pagamento. Contudo, como uma exchange descentralizada preza pelos dados do usuário, a Bisq aguardará confirmações da rede do Bitcoin antes de mostrar o endereço de pagamento do vendedor. Após feitas as confirmações necessárias na rede, um pop-up aparecerá com os detalhes, que devem ser usados para finalizar o pagamento.

É importante lembrar que, como a Bisq não tem integração com nenhum gateway de pagamento, ela não saberá quando a transação foi efetuada. Desta forma, não esqueça de marcar a opção de “pagamento efetuado”.

Por fim, o vendedor clicará na opção “pagamento recebido” quando o mesmo for efetuado, e os Bitcoins comprados serão liberados ao usuário. É possível manter na carteira gerada na Bisq, bem como é possível sacar diretamente para a carteira externa.

Como é possível ver no guia, o procedimento é um pouco diferente do que é aplicado nas exchanges centralizadas, e demanda um pouco mais de envolvimento do usuário. Basta decidir se a segurança de ter a custódia dos fundos vale a pena ser trocada por um pouco mais de comodidade.

Leia também: Guia de como criar e utilizar as carteiras de criptomoedas mais populares

Forex Crypto News: Cripto Facil