Apesar dos desafios de escalabilidade, a comunidade parece confiar no Ethereum 2.0

O evento Devcon deste ano, realizado em Osaka, no Japão, chegou ao final nesta sexta-feira, 11 de outubro. Durante o evento, a comunidade Ethereum demonstrou otimismo com o lançamento da segunda iteração da rede, aparentemente intocada pela controvérsia sobre sua incapacidade de escalar.

Enquanto grande parte da indústria de criptoativos parecia abalada pelos comentários feitos pelo cofundador do Ethereum, Joseph Lubin, a comunidade que cercava a segunda maior criptomoeda em valor de mercado manteve-se firme em suas crenças.

No início de setembro, durante a conferência Ethereal Tel Aviv, Lubin disse que os criadores do Ethereum sabiam “desde o início” que a rede não poderia escalar. Para combater as falhas no formato original da rede, a segunda iteração do Ethereum sempre esteve no radar de desenvolvimento.

A declaração de Lubin levou muitos críticos do Ethereum a acusarem seus criadores de mentir, com alguns chegando a dizer que todo o projeto era um golpe. No entanto, se considerarmos a totalidade das manifestações, a reação soa um pouco mais moderada, pois os defensores salientaram que um projeto tão ambicioso poderia ter atrapalhado o julgamento de seus criadores.

Mas nada disso parecia ter afetado a comunidade Ethereum na Devcon 2019, a maior conferência de desenvolvedores do setor de criptoativos. A maioria considera as críticas como uma campanha de difamação de maximalistas do Bitcoin e demonstrou verdadeira aspiração pela próxima iteração do Ethereum.

No entanto, a implementação ainda está muito distante. Durante a conferência, Vitalik Buterin, cofundador do Ethereum, disse que as soluções da camada dois do Ethereum estão avançando “mais lentamente que o esperado”.

 

James Beck, líder de comunicações da ConsenSys, disse que atualmente existem nove equipes trabalhando na blockchain Ethereum 2.0, incluindo empresas conhecidas como Chainsafe e Protocol Labs.

No entanto, o desenvolvedor da Fundação Ethereum Jamie Pitts disse que estava preocupado com o projeto.

“Sinto que há uma falta de estratégia”, disse Pitts. “Acho que existem muitas equipes trabalhando em suas ideias, mas há uma falta de coordenação.”

A falta de otimismo das pessoas diretamente envolvidas no projeto não passou despercebida pela comunidade. Os desenvolvedores que trabalham na representação do software do usuário final, o Ethereum Client, disseram que as duas versões da rede poderiam existir facilmente ao mesmo tempo e que não planejavam interromper seu trabalho na blockchain original do Ethereum.

Leia também: Lançamento parcial do “Ethereum 2.0” deve ocorrer em janeiro de 2020

Forex Crypto News: Cripto Facil