Apesar do mercado em baixa, preço do Bitcoin aumenta 115% em relação a dezembro de 2018

Completamos exatamente um ano desde que o Bitcoin atingiu seu preço mínimo em dezembro de 2018 (desde a última alta vivenciada em 2017). Desde então, a criptomoeda valorizou bastante, apesar de passar por períodos de volatilidade, conforme a postagem de um usuário do Reddit.

A rendição do Bitcoin em dezembro de 2018

O Bitcoin atingiu seu preço mínimo perto de US$3.200 em 15 de dezembro de 2018, após uma longa queda desde de a sua alta máxima no final de 2017. Um ano depois, o preço do Bitcoin parece estar em melhor forma.

 

“O custo atual da mineração na China, onde pelo menos 70% de toda a mineração de #Bitcoin ocorre, é de cerca de US$4.500. É provável que o #BTC vá até janeiro, causando a falência das mineradoras com excesso de alavancagem e, como dezembro de 2018, será o fundo antes de mais seis meses de alta.”

O preço do Bitcoin permaneceu imprevisível e enfraqueceu ainda mais neste domingo, 15 de dezembro. O preço do criptoativo caiu duas vezes abaixo de US$7.100, mas mesmo com esse preço, os ganhos do último ano variam perto de 115%. E a principal diferença no desempenho do Bitcoin está na história de seus volumes. A criptomoeda quase estagnou, retornando a volumes abaixo de US$4 bilhões por dia em dezembro de 2017 e janeiro de 2018.

Mas depois de abril, as negociações com o BTC aumentaram e não houve um período significativamente lento depois. Desde julho, os volumes de negociação têm sido consistentemente próximos ou acima de US$10 bilhões diários. Mesmo após a desaceleração de dezembro e a queda dos preços, as negociações atingiram US$17 bilhões por dia no mercado.

Além disso, estão os principais mercados Futuros da CME e da Bakkt, além de volumes não reportados de certas exchanges de criptomoedas.

Mas a maior história é a atividade vista na blockchain. O Bitcoin marcou recordes impressionantes em 2019, incluindo a transferência de mais de US$8,9 bilhões em valor em apenas três blocos. A mineração também explodiu após o fim do mercado de alta, atingindo níveis reportados em 120 quintilhões de hashes por segundo.

Preço do Bitcoin ainda está longe da alta máxima

Uma das previsões que o Bitcoin não cumpriu foi um domínio de 90% do valor total do mercado de criptoativos. Ainda assim, o BTC representa mais de 66% de todo o valor de mercado do setor de criptomoedas. Isso não se deve à fraqueza do Bitcoin, mas às altcoins que se estabelecem com fontes separadas de liquidez. Desta vez, o BTC apenas rescindiu seu domínio a um punhado das principais altcoins, deixando pequenos ativos especulativos em dificuldades.

Em dezembro do ano passado, o preço do Bitcoin parecia estar no modo de redenção total, pois todos os marcadores da rede caíram significativamente. Mas, ao longo de 2019, o mercado de criptomoedas passou por um renascimento significativo.

Curiosamente, há exatamente um ano, em 16 de dezembro de 2018, o índice de medo e ganância do Bitcoin estava em 13 pontos, sinalizando medo extremo. Agora, os comerciantes ainda estão enfrentando “medo extremo”, com um índice de 21 pontos. Mas a partir de US$3.200, o preço do Bitcoin acabou sendo capaz de atingir máximos anuais acima de US$13.800.

No final de 2019, espera-se que o Bitcoin tenha outra queda de preço no curto prazo, com baixas possíveis em US$6.500. Mas a criptomoeda é a prova viva de que a capitulação não é um cenário provável, e o BTC promete uma vantagem significativa.

Leia também: Pesquisa afirma que o preço do Bitcoin voltará a US$10 mil em breve

Forex Crypto News: Cripto Facil